Em algum momento, as pessoas chegam em um limite em que não conseguem mais ficarem paradas e em silêncio diante de tantas injustiças no mundo. No entanto, se você planeja participar de uma manifestação – por mais pacífico que ela seja – existem algumas precauções importantes que você deve tomar com o seu smartphone.

Neste texto, reunimos algumas dicas importantes para se manter seguro.

Desligue a autenticação via biometria e habilite o PIN ou senha



A autenticação por meio de biometria, como reconhecimento facial ou por digitais, pode se parecer muito como ter um PIN ou senha configurado para desbloquear o seu celular. No entanto, em termos legais, essas coisas podem ser tratadas de formas diferentes dependendo de onde você estiver.

A lei brasileira e o entendimento jurídico por aqui é que tanto o PIN como as informações biométricas fazem parte de sistemas de proteção à intimidade e que o cidadão pode resguardar esses dados se valendo do direito de não produzir prova contra si mesmo, conforme explicou ao Gizmodo Brasil o advogado Luiz Mário Guerra, especialista em Direito Penal do escritório Urbano Vitalino Advogados.

“Interpretar a biometria ou o PIN de formas diferentes viola a finalidade da lei, viola a finalidade de um princípio. É um contorcionismo interpretativo – colocamos nossas digitais e nossas informações de desenho facial como uma espécie de código, todos sabem que o que nós pretendemos com aquilo é proteger a nossa privacidade, a nossa intimidade. Apontar o celular para desbloquear a face de um investigado para desbloquear o celular é uma violação do artigo 5º, que prevê o direito de não produzir prova contra si mesmo”, explica Guerra.

Há ainda precedentes como a anulação de processos após violação do celular para a produção de provas.

Nos Estados Unidos, por outro lado, os métodos de login biométricos são tratados diferentes de um PIN uma vez que este último é visto como uma informação protegida pela Quinta Emenda, que dá às pessoas o direito de não produzirem provas contra si mesmas. Isso significa que se a polícia te perguntar o PIN para desbloquear o celular (mesmo que tenham um mandado), o cidadão pode recusar.

Tela do Face ID, do iPhoneImagem: Sam Rutherford/Gizmodo

No entanto, quando se trata de login via impressão digital ou reconhecimento facial, as mesmas regras nem sempre se aplicam. Em alguns casos, autoridades de aplicação da lei podem pressionar o dedo de uma pessoa ou apontar o celular para o rosto para obter acesso ao aparelho, mesmo contra a vontade do proprietário do aparelho.

Em 2019, um juiz do Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito Norte da Califórnia decidiu que policiais não poderiam forçar que as pessoas desbloqueassem seus celulares usando biometria. No entanto, essa determinação só se aplica para as pessoas que estão nesse distrito. A lei ainda não está completamente definida e para se assegurar é melhor remover a biometria do seu celular.

Habilitar um PIN ou senha forte (não use “1234” ou “senha”, por favor) em vez de reconhecimento facial ou digitais é a maneira mais segura.

No iOS, vá até os Ajustes, role a tela para baixo e escolha Face ID e Código para desativar o Face ID.

Diferentes versões do Android terão as configurações de biometria em locais distintos, então você precisará dar checada a respeito do seu aparelho. Geralmente, esse opção fica nas Configurações sob o menu Desbloqueio ou Desbloqueio por impressões digitais.

Também é uma boa ideia desativar qualquer assistente digital em seu smartphone – você não vai querer a Siri, Alexa, ou Google Assistente potencialmente te dedurando. Isso, novamente, depende de qual celular e aplicativos você usa.

No iOS, vá em Ajustes e depois escolha Siri e Busca e depois desative as opções Ativar ao ouvir ‘e aí Siri’ e Permitir Quando Bloqueado.

Nos aparelhos com Android, navegue até as Configurações e procure o Google Assistente para desativá-lo.

Para outros assistentes de voz como Alexa e Cortana, você vai precisar navegar nos próprios aplicativos ou excluí-los completamente para se certificar. Você sempre pode baixá-los novamente mais tarde.

Ative o PIN/Senha imediatamente ao bloquear

Algumas pessoas colocam a exigência de PIN e senha para depois de cerca de 10 minutos de inatividade no aparelho. Em um protesto, no entanto, você não quer que alguém possa acessar o seu aparelho sem colocar a senha porque você acabou de desbloqueá-lo e ele continua disponível.

Para mudar isso no iOS, navegue até os Ajustes, Face ID e Código e na opção Exigir código selecione Imediatamente.

No Android, essa opção pode ficar meio escondida, mas geralmente está nas Configurações, sob o menu Segurança ou Senha.

Se você estiver em uma situação em que seu telefone possa ser confiscado e ainda não tiver alterado os requisitos de senha, é importante saber como forçar seu telefone a exigir um PIN ou senha na próxima vez que alguém tentar desbloqueá-lo.

A maneira mais direta é simplesmente reiniciar seu telefone, como nos dispositivos Android e iOS, desde que você tenha um PIN/senha definido, o sistema operacional exija um PIN/senha ao reiniciar.

Tela de bloqueio do AndroidImagem: Sam Rutherford/Gizmodo

Mas se você estiver em uma situação mais urgente, há maneiras ainda mais rápidas. Nos iPhones modernos, você pode segurar o botão de bloquear o aparelho e qualquer um dos botões de volume por alguns segundos. Você pode acionar uma chamada para serviços de emergência pressionando os botões de bloqueio e volume juntos rapidamente, cinco vezes seguidas.

No Android, há uma configuração especial de bloqueio que pode aparecer a qualquer momento que você segurar o botão liga/desliga do celular, mas antes de poder usá-lo é preciso habilitar a opção nas configurações do seu aparelho. Na maioria das versões do Android, essa opção está em Configurações e em Segurança e Localização. Em seguida, escolha Preferências da tela de bloqueio e Mostrar opção de bloqueio total.

Ative o Modo Avião para evitar rastreios

Como vimos na China, governos começaram a se tornar mais sofisticados quando se trata de usar tecnologia para monitorar pessoas, incluindo o uso de dispositivos de rastreamento que se conectam a torres de celulares ou nós Wi-Fis próximos.

Portanto, se você realmente quer levar um smartphone para um protesto para gravar vídeos ou tirar fotos, talvez seja uma boa ideia considerar ligar o modo de avião do seu telefone para ajudar a esconder seus rastros digitais.

Nota: No iOS, ligar o Modo Avião desabilita apenas a conexão celular, o que significa que você terá que desabilitar o Wi-Fi separadamente.

Opção do modo avião no iPhoneFoto: Sam Rutherford/Gizmodo

Infelizmente, ligar o modo avião tem um ponto negativo que é interromper a comunicação do seu aparelho com as outras pessoas. Então, se você habilitar o modo avião temporariamente, é importante saber como desligá-lo.

No Android, desça a barra de notificações a partir do topo da tela e selecione Modo Avião.

No iOS, deslize de cima para baixo sobre o lado direito da tela (sobre os botões de sinal, etc) e pressione o botão do Modo Avião.

Faça backup de seus dados

As manifestações podem se tornar imprevisíveis e é preciso que você esteja ciente do fato de que é possível perder os dados do seu celular (ou até o celular em si). Se você não quer que isso aconteça, faça um backup das suas informações antes de ir para as ruas.

No Android, você pode fazer backup dos dados do seu celular para a conta do Google. Desse modo, é possível restaurar tudo pela internet, mesmo em um aparelho Android completamente novo.

Enquanto isso, no iOS, existem maneiras simples de fazer uma cópia de segurança para o iCloud ou uma cópia local para um computador Apple, para que você restaure tudo caso seu iPhone seja perdido ou danificado.

Habilite a criptografia do seu dispositivo

As versões mais recentes do Android e iOS possuem a criptografia do dispositivo habilitada por padrão. De qualquer modo, é uma boa ideia checar se essa opção está ativa em seu celular – ela evita que suas informações sejam interceptadas após a apreensão do aparelho, exigindo a inclusão do PIN para liberar todos os dados armazenados.

No Android, navegue até as Configurações, procure pelo menu Segurança, depois Avançado e então Criptografia.

No iOS, a opção é habilitada automaticamente ao definir um PIN.

Configure contatos de emergência/identificação médica no iOS e Android

Outra coisa para configurar antes de ir para as ruas são informações médicas pessoais e contatos de emergência.

No Android, o recurso Adicionar informações de emergência tem um local dedicado a listar contatos de emergência, juntamente com um local para listar detalhes médicos pertinentes, como alergias, tipo sanguíneo e muito mais.

Informações médicas no iPhoneImagem: Sam Rutherford/Gizmodo

Nos dispositivos iOS, a Apple oferece um sistema similar como parte do aplicativo Saúde, que permite criar um ID Médico e uma Ficha Médica. A opção de adicionar contatos de emergência fica nos Ajustes, sob a aba SOS Emergência.

Considere a Fixação de tela ou Acesso Guiado

Embora essas funcionalidades talvez só sejam úteis em situações muito específicas, é importante saber que tanto o Android quanto o iOS têm maneiras de mostrar um aplicativo enquanto bloqueia todo o resto por trás de um PIN ou uma senha.

Isso pode ser útil caso você precise do seu aparelho para mostrar um documento digital, mas não quer que a polícia tenha acesso a todo o seu aparelho.

Fixação de tela no AndroidImagem: Sam Rutherford/Gizmodo

No Android, essa funcionalidade é chamada de Fixação de tela (em Configurações > Segurança). No iOS, é chamada de Acesso Guiado (em Ajustes > Acessibilidade).

A configuração varia um pouco entre as plataformas, mas ambas permitem configurar uma maneira de dar acesso limitado a um aplicativo ou arquivo em seu celular sem liberar acesso a todo o dispositivo.

Por fim, outra coisa importante que você deve fazer antes de ir a um protesto é se certificar de que o seu dispositivo está carregado e tem bastante espaço de armazenamento disponível.

Quase todos os aparelhos oferecem maneiras de acessar a câmera sem precisar desbloqueá-lo completamente, então você pode fazer fotos e vídeos de forma mais segura.

Além disso, os gravadores de voz integrados na maioria dos aparelhos continua gravando áudio mesmo depois de bloqueado. Se algo acontecer, é uma boa ideia ter espaço de armazenamento para gravar tudo o que puder.

Neste momento, está claro que nem sempre é possível confiar nas autoridades, então é importante que as pessoas que participam de protestos façam tudo o que puderem para protegerem a si mesmas e as pessoas que amam.

Colaborou: Alessandro Feitosa Jr