Nossas vidas hoje em dia dependem demais de sistemas e infraestruturas que são invisíveis – redes e ondas que saem de torres de celular, roteadores, satélites e mais.

Raramente temos de lidar com esse mundo escondido, graças às interfaces de usuário gráficas que analisam todas as ondas e sinais e os transformam em informações que nosso cérebro consegue compreender. A maior parte de nós sequer pensa neles – com exceção de alguns poucos, como o artista holandês Richard Vijgen. “Nós somos totalmente rodeados por um sistema invisível de cabos de dados e sinais de rádio, de pontos de acesso, torres de celular e satélites aéreos,” ele escreveu em seu site, introduzindo um app chamado The Architecture of Radio.

O app usa uma gama diversa de fontes de dados para visualizar todas as redes de comunicação em um determinado local. Vamos pegar os sinais de satélite como exemplo. De acordo com o Creative Applications, o app usa o sistema de localização do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, Ephemeris, para calcular a localização de alguma aeronave que esteja em órbita. E os sinais de celular? Ele coleta localizações de torres próximas a você com o OpenCellID, um mapa colaborativo aberto de torres de celular. O app de Vijgen parece sintetizar esses dados em uma interface de realidade aumentada que permite ao usuário se mover ao redor de uma sala e experimentar uma renderização de diferentes formas de comunicação sem fio.

Já vimos várias iterações conceituais da mesma ideia, mas com apenas um tipo específico de comunicação – renderização de sinais Wi-Fi, ou um mapa em tempo real com objetos em órbita. Por email, Vijgen disse que as formas são desenhadas a partir de modelos de radiação, calculados pelo app “com base na distância entre você e o transmissor,” e assim mostrada na interface na tela. “É assim uma simulação teórica em vez de uma medida completa do espectro de rádio,” ele concluiu.

De qualquer forma, é um lembrete interessante de que os sistemas dos quais tanto dependemos no nosso mundo estão ao nosso redor, mesmo que não consigamos vê-los. Vijgen diz que planeja tornar o app público ainda este ano. A partir do mês que vem, ele fará parte de uma exposição na Alemanha. [The Architecture of Radio h/t Creative Applications]