Satélites GPS são apenas relógios que se movem rapidamente, cuspindo códigos de hora conforme se deslocam pelo espaço. Torres de TV digital também vomitam códigos de hora e poderiam servir de sistema terrestre de GPS ou assistente de GPS, diz o Ars.

Existe uma empresa chamada Rosum que tem trabalhado com esta tecnologia já tem um tempo e está finalmente mostrando progresso. O objetivo dela é ajudar dispositivos que passam o tempo todo ou a maior parte do tempo dentro de quatro paredes a desfrutar os benefícios do posicionamento global. Ela está atualmente focada em integrar sua geolocalização assistida por TV em femtocélulas – sem uma trava de GPS, estas repetidoras de celulares conectadas à Internet são inúteis, mesmo sendo inteiramente projetadas para uso interno.

Ao travar no código de hora embutido nos sinais de TV a partir de localizações conhecidas, ela consegue operar. Como você deve saber, redes Wi-fi mapeadas pela Skyhook usam este mesmo conceito básico. A Rosum gosta do sinal de TV porque ele é particularmente forte, penetra paredes e “fica mais ou menos 20 mil quilômetros mais perto” que o GPS.

De todo modo, é tudo um negócio meio precipitado ainda, então vá até o Ars se você quer o 202. O ponto é: tudo pode ser usado para obter a sua localização e, no futuro, tudo o fará. [Ars Technica]