Existe um tipo especial de bug de software chamado “caso limítrofe”: isto é, um caso inesperado e problemático para o qual o sistema não está preparado. Essas situações costumam ser bem curiosas, como ilustra a história de uma mulher nos EUA chamada Jennifer Null.

A BBC mostra os problemas que ela enfrenta por ter um sobrenome equivalente ao termo “nulo” na computação:

Quando Jennifer Null tenta comprar uma passagem de avião, ela recebe uma mensagem de erro na maioria dos sites. O site diz que ela deixou o campo “Sobrenome” em branco e pede para tentar novamente…

Ela também teve problemas em inserir seus detalhes num site da Receita Federal, por exemplo. E quando ela e o marido tentaram se instalar em uma nova cidade, eles tiveram dificuldades em ativar uma conta de luz e água, também…

Antes do nascimento do filho, Null estava trabalhando como professora substituta de plantão. Nessa função, ela poderia ser notificada pela escola através de um serviço on-line ou via telefone. Mas o site nunca funcionava para Null – ela sempre teve que obter os turnos por telefone.

Outros casos limítrofes envolvem pessoas com apenas um nome (sem sobrenome), ou sobrenomes que têm apenas uma letra ou que são grandes demais – caso de Janice Keihanaikukauakahihulihe’ekahaunaele, com 36 caracteres. Isso pode ser resolvido ao expandir os campos de entrada para dados.

Mas a situação de Null é mais problemática, porque o termo “null” é amplamente usado na computação para indicar ausência de dados.

O pior é que este não é o sobrenome de solteira dela: Null aceitou se colocar nesta situação tomando o sobrenome do marido quando se casou. E eles têm um filho, então o problema pode se repetir quando o bebê Null crescer em nosso mundo hiperconectado.

Segundo o site Ancestry.com, existem quase 200.000 documentos históricos mencionando pessoas com o sobrenome Null, uma variante do termo “Noll”, que tem origem judaica e também alemã.

[BBC]