A Nokia Bell Labs, a Deutsche Telekom T-Labs e a Universidade Técnica de Munique fizeram progressos importantes em direção a conexões de internet extremamente rápidas. A equipe diz ter atingido uma “capacidade de transmissão inédita”, numa taxa de 1 terabit por segundo.

• Preço por Mbps da internet fixa brasileira não para de cair (e a qualidade também)
• Facebook e Microsoft se unem pelo cabo submarino mais rápido da história

A marca do terabit é, teoricamente, a “taxa de transferência de informação máxima” num link de fibra, segundo os pesquisadores. Eles conseguiram alcançar tamanha velocidade ao ajustar as taxas de transmissão de uma forma que elas se “adaptavam dinamicamente às condições do canal e das demandas de tráfego.” Eles usaram um processo inteligente para conseguir atingir essa velocidade numa escala sustentável.

Para colocar em perspectiva, uma conexão de 1Tb permite transferências de cerca de 125 gigabytes por segundo. Na teoria, com uma velocidade dessa você poderia baixar 25 filmes de 5GB num único segundo. Pesquisadores já tinham conseguido atingir esses números antes, mas a diferença aqui é que a velocidade foi alcançada numa conexão real, o que significa que é muito mais possível vê-la funcionando no mundo real. Marcos importantes, como a conexão de 1.4Tb no Reino Unido, alcançada há uns dois anos atrás, usavam múltiplas conexões e aconteciam num ambiente de laboratório controlado.

Conexões de terabits não devem estar disponíveis para uso doméstico num futuro imediato, mas provedores de dados precisarão lidar com um eventual lançamento de redes wireless 5G, o que permitirá que seu smartphone lide com uma quantidade de dados absurda. Esse avanço talvez ajude os provedores a oferecer um serviço 5G.

[Technical University of Munich]

Imagem do topo: canglobalmedia/Flickr.