O American Kennel Club, um dos maiores clubes de registro genealógico de cães do mundo, reconheceu duas novas raças na última semana. Foram elas o Mudi, cão de pastoreio de origem húngara, e o Pequeno Cão Russo, considerado um dos menores cachorros do planeta.

Não pense que essas são raças novas. Na verdade, elas existem há um tempo, mas só agora que foram reconhecidas pela instituição — e poderão competir oficialmente em exposições de cães. 

Mudi

Novas raças - Mudi
Imagem: Wikimedia Commons/Reprodução

O Mudi é um cão de pastoreio de origem húngara. Muitos o consideram uma mistura de poodle com pastor alemão, levando em conta seu pelo, porte e temperamento. 

Não são animais para pais de pet de primeira viagem, já que ficam facilmente entediados e demandam treinamento constante. Hoje, existem entre 3 e 4 mil destes animais no mundo todo.

Pequeno Cão Russo

Novas raças - Pequeno Cão Russo
Imagem: Wikimedia Commons/Reprodução

O Pequeno Cão Russo, como o nome sugere, é uma raça minúscula de cachorro — que vem da Rússia. Eles são dóceis, brincalhões e não demandam treinamento ou cuidados excessivos. No passado, foram companheiros de aristocratas russos, que os chamavam de English Toy Terriers.

Foi só depois da Revolução Russa, quando os criadores deixaram as fronteiras, que eles perceberam que o animal não tinha nada a ver com a raça a qual estava sendo atribuído. Dessa forma, mudaram seu nome para Russian Toy Terrier.

O que faz um cão ser reconhecido pelo American Kennel Club?

Somando as diferentes raças reconhecidas por organizações ao redor do mundo, dá para estimar que existam cerca de 350. Destas, apenas 199 são reconhecidas pelo American Kennel Club. 

Para ser reconhecido pela American Kennel Club, é necessário que exista uma certa quantidade de animais da raça vivendo nos Estados Unidos. Hoje, é possível encontrar 450 Mudis e 775 Pequenos Cães Russos no país.

A raça também não pode ser um cruzamento de outras duas já reconhecidas pelo American Kennel Club. Variações de raças já estabelecidas, como o Pastor Alemão Branco, também não entram na conta.

A solicitação para inclusão da raça pode ser feita pelos próprios tutores dos animais. Porém, é difícil estimar o tempo que leva até o seu reconhecimento. Um cão peruano conhecido como Orquídea Inca, por exemplo, está há uma década esperando sua hora. Por outro lado, o pequeno Biewer Terrier conseguiu seu reconhecimento em pouco mais de seis meses.