Como é frequentemente o caso com animais lendários, as imagens de pirossomos gigantes tendem a ser de baixa resolução. Mas ao contrário do Pé Grande ou o Monstro do Lago Ness, os pirossomos são 100% reais.

O pirossomo é uma colônia translúcida e cilíndrica de centenas ou mesmo milhares de animais, os tunicados, que se alimentam por filtragem.

Ao contrário da maioria dos tunicados – que muitas vezes se ligam não só aos outros, mas ao fundo do oceano – os pirossomos flutuam livremente. Eles podem variar de poucos milímetros a vários metros de comprimento, e deslizar pelas camadas superiores e mais quentes do oceano.

Na imagem acima, temos um grande pirossomo, obtida de um dos poucos vídeos no YouTube mostrando uma colônia gigante deles. Você pode assisti-lo abaixo. No Deep Sea News, a bióloga Rebecca Helm comenta mais sobre os pirossomos, explicando que eles parecem vilões mas “na verdade são delicados e frágeis”. Ela diz:

Se um Borg [de Star Trek] e Clone Wars tivessem um bebê, ele seria um pirossomo. Um longo pirossomo é na verdade uma coleção de milhares de clones: cada indivíduo é capaz de copiar a si mesmo e adicionar a cópia à colônia. E ao contrário de membros do Borg, que estão mentalmente conectados, os membros do pirossomo estão fisicamente conectados – na verdade, eles compartilham tecidos.

E enquanto os Borgs viviam em um grande navio assustador, os pirossomos são o tal navio. Toda a colônia é moldada como um dedal gigante, com a ponta numa extremidade e a abertura na outra; em algumas espécies, esta abertura pode ter até 2 metros de largura, suficientemente grande para caber um humano adulto inteiro.

A bióloga também esclarece como os pirossomos se movem: através da abertura em uma das extremidades, eles sugam e expulsam a água, e assim se impulsionam pelo oceano.

Leia o relato completo de Helm, incluindo por que seu primeiro encontro com um pirossomo quase a levou às lágrimas: [Deep Sea News]