Mesmo com o recente tombo do mercado de criptomoedas, muitas empresas, incluindo do universo dos games, continuam investindo pesado no segmento. A Epic Games apresentou recentemente na loja online seu primeiro jogo NFT, o battle royale western “Grit” — que, mesmo rodeado de polêmicas, parece dar uma prévia do caminho a ser seguido pela empresa no futuro.

Outra empresa a apostar no universo de criptoativos é a Polium, que apresentou ao mundo o “Polium One”, o primeiro console dedicado exclusivamente a NFTs, metaverso e tecnologia blockchain.

Embora não tenha divulgado com detalhes as especificações técnicas do console, a fabricante garante que ele é capaz de executar criptojogos em 4K Ultra HD e 8K HDR, com taxa de atualização de até 120 Hz.

O aparelho conta com carteira digital, loja própria de jogos e aplicativos, além de um sensor biométrico, para tornar as transações na plataforma mais seguras para os usuários. O controle do console tem um painel tátil para melhorar a experiência dos jogadores em alguns games.

Além disso, o console tem compatibilidade com tecnologia Ray Tracing, que cria efeitos de luz e sombra em tempo real e está presente em placas de vídeo e consoles de última geração.

A Polium vem recebendo várias críticas por conta da semelhança do logo de console com o do Game Cube, videogame produzido pela Nintendo no início dos anos 2000. Parece mesmo? Veja por si só.

A empresa não deu detalhes também sobre quais criptogames podem ser executados no Polium One. Mas Grit, da Epic Games, será um dos títulos compatíveis com o console.

O console deve chegar aos primeiros consumidores, proprietários do Polium Pass, em 2024. Para o grande público, o Polium One só chega em meados de 2025.

Assine a newsletter do Gizmodo