Hoje é o Earth Overshoot Day — o dia no qual a humanidade já consumiu mais recursos naturais que o nosso planeta consegue gerar. Surpreendentemente, este dia está acontecendo cada vez mais cedo com o passar dos anos.

De acordo com a GFN (Global Footprint Network), uma instituição internacional preocupada com a sustentabilidade ambiental, nesta segunda-feira (8) nós já consumimos nosso estoque de recursos renováveis da Terra — e ainda temos mais 145 dias para o fim do ano.

Este solo siberiano saltitante pode ser um sinal alarmante do futuro do nosso planeta
Os níveis de dióxido de carbono na atmosfera aumentaram em ritmo recorde

“Nós usamos mais recursos naturais e serviços que a natureza pode regenerar através da pesca em excesso, destruição de florestas e a emissão de mais dióxido de carbono na atmosfera do que as florestas conseguem capturar”, observa o site da GFN.

No ano passado, o Earth Overshoot day, também conhecido como dia do débito ecológico, foi em 13 de agosto. Em 2014, em 19 de agosto. O primeiro ano em que a data foi registrada foi em 1987, quando o dia em que isso ocorreu foi em 19 de dezembro. Tem acontecido cada vez mais cedo, o que significa que estamos indo na direção errada.

Para colocar este consumo crescente em perspectiva, nós precisaríamos de uma Terra e meia para atender a nossa demanda global por recursos renováveis. Analisando por país, nós precisaríamos de 5,4 Terras se a população mundial vivesse de acordo com a da Austrália, e 4,8 Terras para viver como nos Estados Unidos. O consumo do Brasil está um pouco acima da média mundial: seria necessário 1,8 Terra para suprir o consumo de recursos se o mundo vivesse como os brasileiros.

grafico-gfnQuantas Terras precisaríamos para viver como os cidadãos dos países acima. Crédito: GFN

A GFN diz que as emissões de carbono são o maior vilão do débito ecológico, com uma pegada de carbono acima de 60% do que nossa civilização demanda da natureza. Para conseguirmos adotar os objetivos estabelecidos no acordo climático de Paris adotado em dezembro de 2015, a GFN diz que nós precisamos mudar nossa forma de viver.

“Esta nova forma de viver vem com novas vantagens e leva um tempo para ter efeito”, observou Mathis Wackernagel, cofundador e CEO da Global Footprint Network, em um comunicado. “A boa notícia é que isso é possível com nossa tecnologia atual e é financeiramente vantajoso com os benefícios gerais excedendo os custos.”

Wackernagel diz que tal mudança irá estimular setores emergentes como o de energias renováveis, enquanto reduz o riscos e custos associados com os impactos da mudança climática. Ele afirma que o único recurso que falta para isso é a vontade política.

Dito isto, a organização diz que alguns países estão correspondendo ao desafio. A Costa Rica conseguiu gerar 97% da energia elétrica local de fontes renováveis nos primeiros três meses do ano. A GFN também elogiou o Reino Unido, Alemanha e Portugal por terem estabelecido novos recordes para energia renovável, além de terem ações pedindo par aque o público levem uma forma de viver mais sustentável.

[Global Footprint Network e Earth Overshoot Day]

Foto do topo por ESA