No ano passado, fontes de energia renovável representaram mais da metade de toda a nova geração de energia produzida no mundo. É um marco importante e sem precedentes, indicando um futuro brilhante para a energia eólica e solar.

Novas turbinas eólicas prometem fornecer energia ao Japão por 50 anos após um tufão
Dubai vai construir a maior usina de energia solar do mundo



Um relatório divulgado pela Internacional Energy Agency (IEA) mostra que o crescimento da capacidade de energia renovável chegou a seu maior nível em 2015, atingindo a marca de 153 gigawatts. Isso representa um aumento de 15% em relação a 2014.

Para colocar isso em perspectiva, o total do crescimento das fontes renováveis é o equivalente à capacidade atual de energia do Canadá. Cerca de meio milhão de painéis solares foram instalados a cada dia ao redor do mundo no ano passado.

A maior parte desse crescimento (cerca de três quartos) veio na forma de novas usinas de energia solar e eólica. Segundo a IEA, pela primeira vez, “fontes renováveis representaram mais da metade das adições anuais líquidas de capacidade de energia, e superaram o carvão em termos de nova capacidade instalada no mundo.” Ao falar em capacidade líquida, a IEA se refere à nova capacidade menos a capacidade perdida, como usinas hidrelétricas ou a carvão que foram desativadas.

Vale a pena repetir: as fontes renováveis, representadas pela energia solar e eólica, agora estão crescendo mais rápido do que qualquer outra fonte, incluindo carvão. Isso é bem importante, especialmente considerando os objetivos ambiciosos definidos no ano passado durante a Conferência do Clima da ONU, em Paris.

energia-eolica
Turbinas eólicas em Dronten, na Holanda. Via AP

O crescimento das fontes renováveis é atribuído a políticas governamentais de apoio, e também à redução do custo da energia solar e eólica. A IEA diz que essa tendência deve continuar, e projeta um crescimento de 42% na capacidade global de energia renovável até 2021. No geral, a participação das fontes renováveis na geração de eletricidade deve subir de 23% em 2015 para 28% em 2021. É pouco mais de um quarto de toda a eletricidade que o mundo precisa, então ainda há muito o que melhorar.

“A China permanece sendo a líder global incontestável de expansão de energia renovável, representando cerca de 40% do crescimento,” dizem os autores do relatório. A China, que recentemente adotou políticas pró-meio ambiente, está preocupada com a desertificação das suas terras, além do aumento dos níveis do mar e a qualidade terrível do ar. No ano passado, o país instalou duas turbinas eólicas a cada hora, em média.

A União Europeia e os Estados Unidos também fizeram grandes avanços no ano passado, mas a IEA diz que “a Ásia é o motor da capacidade e crescimento de energia renovável,” e que “nos próximos cinco anos, só a China e a Índia vão representar metade da adição de capacidade global de energia renovável.”

Se havia alguma dúvida de que o futuro está nessas fontes renováveis, esse relatório deve acabar com os questionamentos. E conforme os preços da energia solar e eólica continuarem a cair, formas tradicionais de energia não vão mais compensar – tanto economicamente quanto ambientalmente.

[International Energy Agency]

Primeira foto: espelhos usados na usina de energia solar Ivanpah, nos EUA. Via AP.