Os cubanos terão a possibilidade de acessar a internet pelos seus celulares sem depender do Wi-Fi a partir desta quinta-feira (6). A companhia telefônica estatal ETECSA lançou ofertas de pacote de dados 3G, algo inédito no país.

Quase metade dos 11,2 milhões de habitantes possuem celulares e o acesso à internet costuma acontecer em praças, parques e outros locais públicos, conforme a reportagem da Reuters. Ainda assim, esse tipo de acesso só ficou popular em 2015, quando o governo instalou 35 pontos de acesso ao redor do país – uma reportagem da Vice traz uma série de imagens da novidade da época.

Segundo a agência de notícias, os pacotes de internet móvel da ETECSA custarão o equivalente a US$ 7 (R$ 27, na cotação atual) para 600MB de franquia válidos durante 30 dias. Há ainda uma opção de 4GB de franquia por US$ 30 (R$ 117). Sem um pacote, cada 100MB custará US$ 10 (R$ 39).

Alguns sites do governo cubano, como a Ecured (uma espécie de Wikipedia), terão condições especiais de acesso.

O serviço é caríssimo e a maioria dos cidadãos não conseguirão pagar pelo acesso. O salário médio de um cubano gira em torno de US$ 30 por mês.

Tania Velázquez, vice-presidente da ETECSA, disse que a empresa irá liberar o serviço aos poucos para evitar o congestionamento na rede que aconteceu durante os testes no início do ano. Muitos cubanos não conseguiram fazer ligações nem mandar SMS durante esse período.

Cuba é um dos países mais desconectados do ocidente e há alguns motivos para isso, conforme aponta a Reuters: o embargo econômico dos EUA que dura anos, a falta de dinheiro e as preocupações do governo a respeito do fluxo de informações.

Esse cenário tem mudado gradativamente depois da chegada do novo presidente Miguel Diaz-Canel, que sucedeu Raul Castro em abril. Ele tem defendido uma conectividade maior, apontando que a internet tem a capacidade de impulsionar a economia. Em outubro, por exemplo, ele abriu uma conta no Twitter.

[Reuters]