A 73ª edição do Emmy aconteceu neste domingo (19), em Los Angeles. De volta ao formato presencial, a premiação reconheceu os destaques do universo das séries de TV. Ao todo, são 23 categorias que incluem melhor série de comédia, melhor série de drama e melhor minissérie. Além disso, os melhores atores, atrizes, diretores e roteiristas também levaram estatuetas.

Se você perdeu a exibição e quer saber tudo o que aconteceu no evento, selecionamos os 5 fatos mais importantes da noite.

Faltou diversidade

A organização até tentou deixar o Emmy mais diverso, convidando Cedric the Entertainer como host, Reggie Watts como DJ, MC Lyte como locutora e os músicos Leon Bridges e Jon Batiste para tocar. As indicações de atores não-brancos também tiveram um recorde impressionante, com 44% dos inscritos.

No entanto, isso não refletiu na entrega das estatuetas: Todos os 12 prêmios de atuação foram para atores brancos. Ao todo, apenas três pessoas negras foram premiadas: RuPaul levou melhor reality de competição por Drag Race (se tornando a pessoa negra mais premiada da história do Emmy), Michaela Coel recebeu o troféu de roteiro em minissérie por I May Destroy You, e Debbie Allen foi homenageada com o Governors Award.

Netflix dominou a cena

Segundo a conta do Deadline, a Netflix foi a emissora/streaming mais premiada do Emmy 2021, com o total de de 44 vitórias (incluindo o Creative Arts Emmys). Ela bateu um recorde estabelecido pela CBS em 1974.

O maior concorrente da Netflix, a HBO, teve 15 vitórias no total, enquanto o HBO Max obteve quatro vitórias. HBO e Max lideraram as nomeações por uma margem estreita com 130 (94 para HBO e 36 para Max), enquanto a Netflix teve 129 nomeações. Além disso, a plataforma conseguiu levar as principais categorias da noite pela primeira vez, com The Crown e O Gambito da Rainha em melhor série dramática e melhor minissérie, respectivamente.

Primeiro Emmy de roteiro para uma negra

Michaela Coel fez história no Emmy ao se tornar a primeira mulher negra a ganhar o prêmio de melhor roteiro de minissérie pela obra I May Destroy You, da HBO. Coel também atuou na série como produtora, diretora e protagonista.

A vencedora se baseou em sua própria experiência para escrever a trama. Isso porque, um dia foi a um bar com um amigo e lá acabou sendo dopada e abusada sexualmente. Sem muitas memórias do ocorrido, a escrita se tornou uma forma de lidar com o trauma. Em seu discurso de agradecimento, ela dedicou a história às sobreviventes de abuso sexual. “Escreva o conto que te dá medo e insegurança, que é desconfortável. Eu te desafio, num mundo que fica tentando nos atrair para várias coisas diferentes. Não tenha medo de desaparecer só por um tempo e veja o que vem para você no silêncio”, disse.

Os destaques da noite

The Crown e Ted Lasso foram os destaques da premiação, com sete e quatro estatuetas, respectivamente. A primeira série é conhecida do público — ela conta a vida da Rainha Elizabeth II dos anos 1940 aos tempos modernos. São décadas de intrigas, romances e rivalidades políticas que ajudaram a moldar o século XX. As quatro temporadas carregam um elenco forte, com nomes como Olivia Colman, Helena Bonham Carter e Gillian Anderson.

Ted Lasso, produção da Apple TV+, vem ganhando cada vez mais atenção da crítica. A comédia segue a vida do personagem homônimo (Jason Sudeikis), um técnico de futebol americano que se encontra em dificuldade quando se vê contratado para treinar um time de futebol, na Inglaterra, mesmo não tendo experiência suficiente com o esporte.

Confira todos os vencedores

Melhor série de comédia: Ted Lasso
Melhor atriz em série de comédia: Jean Smart (Hacks)
Melhor ator em série de comédia: Jason Sudeikis (Ted Lasso)
Melhor atriz coadjuvante em série de comédia: Hannah Waddingham (Ted Lasso)
Melhor ator coadjuvante em série de comédia: Brett Goldstein (Ted Lasso)
Roteiro em série de comédia: Lucia Aniello, Paul W. Downs, Jen Statsky (Hacks)
Direção em série de comédia: Lucia Aniello (Hacks)
Melhor minissérie: O Gambito da Rainha
Melhor atriz em minissérie: Kate Winslet (Mare of Easttown)
Melhor ator em minissérie: Ewan McGregor (Halston)
Melhor atriz coadjuvante em minissérie: Julianne Nicholson (Mare of Easttown)
Melhor ator coadjuvante em minissérie: Evan Peters (Mare of Easttown)
Roteiro em minissérie ou minissérie: Michaela Coel (I May Destroy You)
Direção em minissérie: Scott Frank (O Gambito da Rainha)
Melhor série de drama: The Crown
Melhor atriz em série de drama: Olivia Colman (The Crown)
Melhor ator em série de drama: Josh O’Connor (The Crown)
Melhor atriz coadjuvante em série de drama: Gillian Anderson (The Crown)
Melhor ator coadjuvante em série de drama: Tobias Menzies (The Crown)
Direção em série de drama: Jessica Hobbs (The Crown)
Roteiro em série de drama: Peter Morgan (The Crown)
Melhor programa de variedade de talk show: Last Week Tonight with John Oliver
Melhor reality show de competição: RuPaul’s Drag Race

Assine a newsletter do Gizmodo