Já adianto que considero essa uma das “manchetes que nunca imaginei escrever em 2020”.

O rapper Snoop Dogg contratou o estúdio de produção Corridor Digital para o seu novo videoclipe com um objetivo: trazer Tupac Shakur de volta à vida por meio da tecnologia de deepfake.

A ideia era usar imagens de Tupac e Snoop Dogg em uma entrevista para a MTV em 1996 e sincronizar os lábios do cantor com a letra da nova música.

A equipe de efeitos visuais da Corridor Digital viralizou no YouTube no ano passado com seus vídeos deepfake extremamente convincentes de celebridades como Keanu Reeves e Tom Cruise. Porém, conseguir o mesmo nível de qualidade com 2Pac foi bastante desafiador, como explica o fundador do estúdio Niko Pueringer em um vídeo de bastidores.

Isso porque, geralmente, criar um deepfake realista exige treinar uma rede neural de inteligência artificial ao alimentá-la com muitas e muitas fotos e clipes de vídeo, preferencialmente de alta qualidade. Mas Tupac morreu nos anos 1990 e foi difícil obter imagens de alta resolução.

Pueringer acabou encontrando apenas três vídeos que tinham qualidade o suficiente para começar a construir o deepfake do rapper. Vídeos de um imitador de 2Pac, Josh Harraway, que também trabalhou em uma espécie de holograma do rapper no festival Coachella, ajudaram a sincronizar as expressões faciais e maneirismos no deepfake. Todo o projeto levou menos de uma semana para ser finalizado.

“Foi definitivamente um processo divertido porque foi um pouco mais centrado do que os nosso trabalhos usando imagens do Tom Cruise ou Keanu Reeves”, disse Pueringer ao Gizmodo via e-mail. “Também tivemos que igualar o visual da televisão dos anos 1990, o que foi um processo por si só.”

E os resultados são, mais uma vez, convincentes demais, como você pode ver no vídeo abaixo.

Snoop Dogg parece ter curtido bastante os esforços da Corridor Digital durante a sua reação inicial, que aparece no vídeo de bastidores. Ainda não se sabe quando ele pretende lançar o videoclipe completo.

Parece que o rapper não procurou a equipe da Corridor Digital pessoalmente desde que o deepfake foi produzido, mas de acordo com Pueringer, “no mundo da mídia isso provavelmente significa que ele está feliz com o produto final”.