Este tipo de coisa não é tão incomum, e normalmente uma empresa como a Dell honraria o preço (caso o número de encomendas fosse relativamente pequeno) ou então ofereceria algum tipo de desconto para os clientes. Mas o governo de Taiwan está dizendo que a Dell deve honrar todas as 140.000 compras ou enfrentar um julgamento por violação das leis de livre comércio (é, a gente também não sabe o que livre comércio tem a ver com esta situação).

A Dell já emitiu pedido de desculpas e declarou que vai compensar os compradores pelo erro, mas ela provavelmente se refere a algum tipo de desconto em vez de um prejuízo de milhões de dólares. [Channel Register via The Raw Feed]

PBA gente traduziu o post exatamente como tava no Giz americano, pra mostrar que a posição deles lá é a mesma que a nossa, ainda que não esteja tão explícito (a ironia dos americanos nem sempre é captada aqui). O governo dando causa aos consumidores que claramente se aproveitaram de um erro é tomar o Código de Defesa do Consumidor excessivamente ao pé da letra. Como eu falei, a lei é clara, mas existem juízes para julgar casos extraordinários.

A comparação com a Fnac é levemente válida. Aqui, não é que eles estavam vendendo TVs de R$ 4.500 por R$ 450 (90% de desconto sem querer, como a Dell), eles estavam vendendo por R$ 10. Era muito, muito claro que era um erro generalizado do site. Portanto a decisão do site. Agora, quando um negócio é minimamente factível, acho que a empresa deve buscar uma solução com os clientes que se sentiram lesados, como aconteceu recentemente com a mesma Dell no Chile. Se os clientes não estiverem satisfeitos, que entrem na justiça. Só não acho justo um ministério atropelar todo o processo e causar um prejuízo absurdo à empresa.

Como falaram aí nos comentários, as leis de países asiáticos são estritas até demais. Não acho que valha a pena copiar isso. A discussão nos comentários lá no post do Giz americano é bem interessante. A taxa de "estou com o governo taiwanês" é de 1 / 50 contra.