Engenheiros da Universidade de Stanford, nos EUA, decidiram criar um DeLorean autônomo. Mas, diferentemente de outros carros autônomos que são projetados para trafegar com segurança nas ruas de cidades, esse aqui é para quem gosta de drifting.

O carro – conhecido como MARTY (sigla para Multiple Actuator Research Test bed for Yaw control) – é um experimento para ver como veículos autônomos se saem em situações extremas. “Achamos que veículos autônomos devem ser capazes de realizar qualquer manobra dentro dos limites físicos do veículo para sair de alguma situação de risco”, explicou Chris Gerdes, professor de engenharia mecânica em Stanford à Wired.

Atingir esse objetivo provavelmente seria mais fácil com um carro moderno: a equipe de Stanford precisou modificar completamente o DeLorean só para conseguir dirigir bem. Em seu estado inicial, ele não conseguia fazer curvas direito. Eles adicionaram também um novo sistema de direção assistida, molas helicoidais e motores independentes elétricos em cada uma das rodas.

Como esse carro é apenas uma experiência, ele não foi equipado com os diversos sensores que aparecem em outros carros autônomos, como câmeras 3D e LIDAR. Em vez disso, ele tem sensores inerciais para detecção de movimentos e um sistema GPS para monitorar a sua posição.

Os resultados, como podemos ver no vídeo, são impressionantes. [Stanford via Wired]

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.