Um novo relatório da China Labor Watch, organização sem fins lucrativos que denuncia abusos trabalhistas na China, foi divulgado hoje e praticamente confirmou a existência de um novo modelo do iPhone, mais barato e feito de plástico. Mas esse anúncio não é nada perto do que o relatório realmente diz: a Pegatron, fornecedora da Apple e de diversas outras empresas de tecnologia, viola muitos direitos trabalhistas na China.

Ao menos 86 violações foram encontradas pela organização incluindo uso de trabalhadores menores de idade, hora extra além do permitido por lei (e pela Apple), e abuso direto por gerentes. Essa denúncia é muito mais importante do que qualquer informação sobre um novo iPhone – isso nos lembra como nossos produtos eletrônicos são feitos e como vivem as pessoas que os produzem.

As condições precárias de trabalho

A Pegatron é parceira da Apple já há bastante tempo, mas não costuma receber tanto destaque quanto a Foxconn (que também é frequentemente acusada de oferecer condições precárias aos seus operários). Recentemente ela ganhou destaque exatamente devido aos rumores de que seria a responsável pela montagem dos iPhones mais baratos, e não demorou muito para as graves denúncias de violação de leis trabalhistas surgirem.

O relatório da CLW é longo e pode ser lido aqui. Mas eis algumas das acusações:

  • Discriminação contra mulheres grávidas fora do casamento, ou sem documento de permissão de dar à luz pelo governo, ou que não seguem as políticas de planejamento familiar da China. Elas não podem desfrutar da licença-maternidade na Pegatron.
  • Trabalhadores menores de idade (abaixo de 18 anos) não recebem nenhuma proteção especial e trabalham sob as mesmas condições e jornadas que adultos.
  • Muitos operários normalmente trabalham 63 horas por semana durante temporadas baixas e 66 horas durante alta temporada de produção, e os dois casos superam o limite legal de 49 horas de trabalho por semana. Eles fazem cerca de 110 horas de trabalho a mais por mês.
  • Pausas para usar o banheiro são limitadas. Se algum operário quiser ir duas vezes ao banheiro no mesmo dia, o líder da sua equipe precisa acompanhá-lo.
  • 12 trabalhadores vivem no mesmo dormitório.
  • Trabalho forçado. Hora extra é obrigatória para a maioria dos trabalhadores.
  • Substâncias químicas são usadas durante o processo produtivo, mas a maioria dos trabalhadores não sabem dos perigos que elas podem causar à saúde.

Estas são apenas algumas das (muitas) acusações, que montam um cenário assustador para os trabalhadores da Pegatron (e que, infelizmente, não é muito diferente do encontrado em outras fábricas).

A Apple respondeu às alegações das violações de trabalho na Pegatron afirmando que está “comprometida a oferecer condições justas e seguras de trabalho na sua cadeia de produção”. A empresa diz que realizou 15 auditorias nas fábricas da chinesa desde 2007 – sendo que uma delas foi feita nos últimos 18 meses – e afirmou que vai investigar as novas denúncias.

iPhone mais barato

Os rumores da existência de um iPhone mais barato não são recentes, e o relatório fala da existência do smartphone com uma traseira de plástico. Ele foi citado por um dos investigadores disfarçados de operários:

O trabalho de hoje é colar a película protetora na traseira de plástico do iPhone para evitar que ela seja arranhada nas linhas de montagem. Este modelo de iPhone com acabamento de plástico será lançado em breve no mercado pela Apple.

A tarefa é relativamente simples, e consegui completá-la independentemente após receber instruções de um empregado veterano por cinco minutos. Demora mais ou menos um minuto para colar a película protetora na traseira. O novo telefone celular ainda não foi colocado em produção em massa, então a quantidade não é importante. Isso faz nosso trabalho ser mais lento do que em departamentos que precisam lidar com produção em massa.

A imagem abaixo, conseguidas pelo blog chinês WeiPhone, mostram a embalagem do que pode ser o iPhone 5C.

k-bigpic (1)

Então é isso, um iPhone mais barato deve ser lançado em breve (18 de setembro, diz o The Next Web).

A verdade é que a Pegatron não é fornecedora apenas da Apple, e não é a única a ser acusada de não oferecer condições dignas para seus funcionários. Não é um problema específico da Apple – nem da Samsung, nem da Nokia, nem da Microsoft. Ninguém que produz hardware em larga escala está com as mãos limpas nessa história. [China Labor WatchBuzzFeed, Gizmodo US, WSJ]