Tente me acompanhar um instante: imagine um chip que seja capaz de transportar elétrons enquanto controla a maneira como eles giram. Tá, esqueça isso agora. Na verdade eu não sei direito do que estou falando. Eles sim:

Nós estudamos o bombeamento de carga quantizada de parâmetro único por meio de um ponto quântico semicondutor em campos altamente magnetizados. O ponto quântico é definido entre duas portas superiores em uma heteroestrutura AlGaAs/GaAs. A aplicação de uma voltagem oscilante em uma das portas leva a platôs de corrente bombeada na porta correspondente à transferência controlada de múltiplos inteiros elétrons por ciclos. Em um campo magnético perpendicular ao plano, os platôs tornam-se mais realçados, indicando uma maior quantização de corrente. A quantização atual é sustentada por campos magnéticos nos quais espera-se a polarização de revolução completa do dispositivo.

Entendeu o que eu estava dizendo? Eis a tradução: ao usar a revolução o giro dos elétrons, você pode transportar mais informações mais rapidamente e usando menos energia que nos chips normais, que simplesmente empurram os elétrons. A invenção pode levar ao desenvolvimento da “eletrônica de revolução”, que algumas pessoas postulam como sendo o futuro da tecnologia da informação.

Hmmm. Tá, tradução nº 2: revoluções de elétron. Computadores mais rápidos. Menos consumo de energia. Irado. [AIP via Nanowerk]