Entre todos os tipos de gadgets, parece que um deles permanece imune aos avanços da tecnologia: as impressoras. Sim, elas ganharam algumas coisinhas como Wi-Fi, NFC, mas elas são basicamente o mesmo aparelho desengonçado de dez anos atrás.

E se os cartuchos fossem mais simples? E se você pudesse montá-la facilmente em casa? E se ela ganhasse outras funções para você usá-la mais? Estas são as ideias malucas da Samsung para, através do design, dar vida nova às impressoras.



Aqui, a Samsung coloca em prática duas ideias. Primeiro, deixar as impressoras mais atraentes – elas continuam muito feias! E segundo, criar valor para a impressora, para que ela não seja algo que ocupa espaço mas é usada menos de 10% do tempo. Sim, certas ideias abaixo não parecem práticas nem boas – algumas não são mesmo! – mas para inovar é preciso pensar um pouco fora da caixa, certo?

SONY DSC

Vamos começar pela Smarty. Ela reúne muitas ideias em um só conceito: esta impressora monocromática a laser usa cartuchos simples, toca música e carrega a bateria do seu celular ou tablet. “Mas onde entra o papel?”, você se pergunta. Os três pontinhos indicam que a parte frontal se abre para virar uma bandeja.

A parte superior tem dois círculos pretos semelhantes, mas com funções bem distintas. No lado esquerdo, você encaixa os cartuchos cilíndricos – eles são simples de instalar. No lado direito, há um mostrador que indica o nível de toner preto ainda disponível; você não precisa depender do PC para isso.

SONY DSC

E ela não é só uma impressora: é possível carregar seu celular ou tablet via USB, e imprimir conteúdo armazenado neles. Também há, na parte frontal, um alto-falante para ouvir música (possível via Bluetooth). Ela tem um visual retrô para parecer mesmo uma caixa de som.

Sim, é uma ideia no mínimo curiosa, e gostaria de ver se ela funciona mesmo: lembre que impressoras tremem e fazem ruído, o que pode/vai prejudicar a qualidade de som.


SONY DSC

Esta é a mesma ideia por trás da Indie: ela tem alto-falantes ao redor da saída de papel impresso. A parte inferior, com os três pontinhos, se abre para virar a bandeja para papel.


SONY DSC

E, na parte superior, ela tem um dock para smartphone (que pode ser via microUSB), permitindo usar a impressora para tocar música, ou para imprimir imagens e texto que estejam no seu celular.


SONY DSC

A Wave segue esta ideia em uma direção diferente: ela serve como dock, mas não oferece som, apenas conexão direta ao celular. Ela, no entanto, busca tornar a impressora mais amigável e mais bonita para o usuário.


SONY DSC

A bandeja de papel fica na parte inferior, e o papel impresso sai em uma superfície curvada na parte superior. Bem mais agradável aos olhos do que as próprias impressoras que a Samsung mostrou na IFA!


SONY DSC

Também temos a One & One, conceito de impressora a laser que usa dois cartuchos, um para cada cor. Há uma tampa semitransparente por cima deles.


SONY DSC

A impressora só conseguiria imprimir duas cores de cada vez, pois usa apenas dois cartuchos, um de cada cor (preto, azul, magenta e amarelo). Isso não é ideal, mas só de ver alguém pensando em simplificar os cartuchos, já fico feliz.


SONY DSC

Na mesma veia de melhorar o design, a Samsung mostra a Mate: ela permite trocar a cor da impressora. Ela usa um método deslizante: retire alguns parafusos da lateral, puxe-a para cima e insira outra peça de uma cor diferente.


SONY DSC

Para mim, aí a Samsung já começou a viajar demais nas ideias: ela ficou mais útil com isso? Ficou mais humana? Parece que não.


SONY DSC

Quem sabe você goste da Clip: ela tem um design minimalista e pode ser montada pelo usuário sem utilizar parafusos – as laterais se encaixam com clipes rígidos nas laterais. Imagine se, com isto, ela fosse mais barata! Esta é uma impressora laser monocromática, e isso facilita o processo – seria mais difícil uma versão dessas com cartuchos de tinta.


SONY DSC

E, num golpe de sustentabilidade, os designers da Samsung prepararam uma impressora feita de papelão. A Origami é bem parecida com a Clip: você a monta encaixando as laterais, e trata-se de um modelo monocromático a laser.


SONY DSC

Vale notar que, por mais que ela esteja vazia por dentro…


… na verdade todos os componentes da impressora precisam ficar aí dentro; ela não é tão simples. A Origami, Mate e Clip ganharam, no total, nove prêmios IDEA (International Design Excellence Awards) – mas tá na cara que nunca serão produtos reais.


Um representante da Samsung deixou claro que não, estas impressoras não funcionam: são apenas conceitos para o futuro. Tanto que elas estavam sempre por trás de uma camada de vidro – não podíamos nem tocá-las. Expô-las é uma forma da empresa mostrar que está inovando, ou se preparando para inovar. Se alguém estiver disposto a colocar as impressoras no séc. XXI – sem recorrer a meros truques de conectividade – tanto melhor. [Samsung]

O Gizmodo Brasil viajou para Berlim a convite da Philips.