Parece que o fim da TV analógica será um processo conturbado. Rio Verde (GO) é a primeira cidade a ter apenas sinal digital, mas a migração foi feita antes de a cobertura atingir a meta mínima do governo.

>>> O fim da TV analógica será ainda mais lento que o planejado no Brasil

Para desligar a TV analógica em um município, o Ministério das Comunicações exige que pelo menos 93% dos domicílios recebam o sinal digital. Mas, segundo a Folha, apenas 86% da população de Rio Verde tem acesso ao sinal digital.

E olha que o governo fez de tudo para turbinar esse número. O conversor digital-analógico é oferecido gratuitamente para beneficiários do Bolsa Família, e para famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). (É algo semelhante ao que os EUA fizeram em 2008, dando cupons de US$ 40 para a compra de conversores.)

O governo previa migrar Rio Verde para o sinal digital em novembro de 2015, mas o índice de cobertura era ainda pior na época (49%).

No dia 15 de fevereiro, três emissoras desligaram o sinal analógico na cidade (Canção Nova, Record News e Rede Vida). No dia 29, foi a vez das cinco emissoras restantes (Globo, Record, Bandeirantes, SBT e TV Cultura).

O cronograma da TV digital sofreu atrasos. A ideia era desligar o sinal analógico em grandes capitais ao longo de 2016. Em vez disso, apenas Brasília vai passar pela transição este ano (junto a nove cidades da região); outras capitais e regiões metropolitanas passarão pela mudança em 2017 e 2018.

O governo pretende distribuir 71.000 kits de antena e conversor para beneficiários do Bolsa Família que moram em cidades próximas a Brasília. É possível agendar a retirada do kit por meio do telefone 147 ou pelo site vocenatvdigital.com.br. O local de retirada oferece até mesmo um curso rápido ensinando como fazer a instalação. (Em Brasília, no entanto, a entrega dos conversores só começará em junho.)

A migração em Brasília será feita em outubro. Outras capitais irão para a TV digital em 2017, caso de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Goiânia, Salvador, Recife e Fortaleza. O Brasil inteiro deve desligar a TV analógica só em 2023.

[Ministério das Comunicações via Folha via Olhar Digital; foto por Neil./Flickr]

Confira o calendário da migração para a TV digital:

26/10/2016 –  Brasília/DF; Águas Lindas de Goiás/GO; Cidade Ocidental/GO; Cristalina/GO;
Formosa/GO; Luziânia/GO; Novo Gama/GO; Planaltina/GO; Santo Antônio do Descoberto/GO; Valparaíso de Goiás/GO

29/03/2017 – São Paulo/SP

31/05/2017 – Goiânia/GO

26/07/2017 – Belo Horizonte/MG; Fortaleza/CE; Juazeiro do Norte/CE; Sobral/CE; Recife/PE; Salvador/BA

27/09/2017 – Campinas/SP; Franca/SP; Ribeirão Preto/SP; Santos/SP; Vale do Paraíba/SP

25/10/2017 – Rio de Janeiro/RJ; Vitória/ES

31/01/2018 – Curitiba/PR; Florianópolis/SC; Porto Alegre/RS

28/03/2018 – Bauru/SP; Presidente Prudente/SP; São José do Rio Preto/SP; São Luís/MA

30/05/2018 – Belém/PA; João Pessoa/PB; Maceió/AL; Manaus/AM; Teresina/PI; Aracaju/SE; Natal/RN

28/11/2018 – Boa  Vista/RR; Campo Grande/MS; Cuiabá/MT; Macapá/AP; Palmas/TO Paraná (Oeste do Estado); Porto Velho/RO; Rio Branco/AC; Rio de Janeiro (interior); Rio Grande do Sul (Sul do Estado); São Paulo (interior)

05/12/2018 – Blumenau/SC; Jaraguá do Sul/SC; Joinville/SC; Campina Grande/PB; Dourados/MS; Caruaru/PE; Petrolina/PE; Rondonópolis/MT; Feira de Santana/BA; Vitória da Conquista/BA; Governador Valadares/MG; Juiz de Fora/MG; Uberaba/MG; Uberlândia/MG; Imperatriz/MA; Marabá/PA; Mossoró/RN; Parnaíba/PI; Santa Maria/RS