Não é sua culpa, mas é muito provável que você esteja usando o cabo HDMI errado para plugar aquela Apple TV 4K ou seu PS4 Pro em sua nova TV. Embora você possa ter presumido que todos os cabos HDMI são iguais, infelizmente, eles não são. E se você tem o cabo errado, pode estar perdendo as melhores características da sua TV — ou seja lá o que você estiver tentando plugar. Sem HDR, sem ampla gama de cores, nada de taxa alta de quadros para seus esportes e jogos. Mas não se preocupe. Se você sabe o que procura, é, na verdade, bem fácil encontrar o cabo certo.

Não compre estes cabos de computador enganosos
O que diabos é o HDR?

Cabos têm padrões

A primeira coisa a se entender é que o cabo HDMI não é como os componentes ou os cabos S-video que você talvez tenha plugado em sua TV em outros anos. Tudo o que importava com esses cabos é que eles fossem bem feitos e tivessem os plugues certos. No entanto, cabos HDMI são mais parecidos com cabos USB ou de rede. Existem diferentes versões que parecem idênticas na aparência, mas que podem afetar bastante quantos dados você está transportando de um ponto A para um ponto B. Sabe como aquele antigo cabo USB 2.0 deixava lento o seu HD externo em comparação com um USB 3.0? O HDMI passa pelo mesmo tipo de limitação — de largura de banda, especificamente.

Existem, atualmente, sete diferentes versões de HDMI, começando com a 1.0, que foi apresentada em 2002, e terminando na 2.1, que foi anunciada em novembro de 2017. A quantidade de largura de banda que cada versão é capaz de suportar, assim como quaisquer outros recursos adicionais maneiros que uma versão possa possuir, é decidida pelo grupo de licenciamento HDMI, que é composto por uma série de empresas, incluindo Toshiba, Technicolor, Panasonic e Sony.

A versão 1.4 do HDMI, que foi introduzida em 2009, é o atual padrão HDMI . Ela oferece suporte a até 10Gbps e a uma resolução de 1080p, com uma taxa de atualização de 120Hz (o que significa que a tela pode exibir 120 quadros por segundo — excelente para esportes e jogos), mas só consegue 4K a 60Hz e não é capaz de lidar com novos recursos como HDR e ampla gama de cores. Isso significa que ela não serve para você caso esteja tentando usar as funcionalidades mais recentes de um set-top box ou de um console em uma TV feita nos últimos dois ou três anos.

Foto: Alex Cranz (Gizmodo)

Bom, não é exatamente como se ela não servisse para nada, mas também ela não é ideal. Você está, basicamente, deixando de curtir recursos maneiros pelos quais você pagou naquela TV e no dispositivo conectado por HDMI.

A versão 1.4 do HDMI também tem subversões: 1.4a e 1.4b. A primeira permite ao cabo funcionar com televisões 3D em 1080p 24Hz, e a segunda, 3D 1080p a 120Hz. Nenhuma delas traz qualquer melhoria notável se você estiver usando em uma TV 2D. Considerando que as TVs 3D não são mais particularmente populares e que não tem muito conteúdo disponível neste formato, você não precisa pensar muito nessas duas versões — elas ainda vão funcionar como uma versão leve do cabo 1.4.

O que oferece, sim, uma melhoria é ir para a versão 2.0. Com esse upgrade, a largura de banda máxima do cabo quase dobra, de 10Gbps para 18Gbps. Isso significa que, em teoria, o cabo pode transmitir muito mais dados — como todos os dados necessários para renderizar devidamente uma gama de cores mais ampla ou o HDR. Infelizmente, você ainda fica limitado a 4K a 60Hz. Portanto, se você entrar em uma loja e tentarem te vender uma TV 4K chique, com taxa de atualização de 120Hz, não sinta como se você tivesse que gastar toda essa grana. Você não conseguirá transmitir uma imagem de 4K a 120Hz com a versão 2.0 ou uma anterior.

Talvez seja aqui que você deva prestar atenção na versão 2.1, que foi anunciada em novembro de 2017. Ela não apenas dobra a largura de banda. Teoricamente capaz de chegar a 48Gbps, ela é quase três vezes mais rápida que a 2.0 e quase cinco vezes superior a 1.4 ou anteriores. Ela é capaz de transmitir em 4K a 120Hz, além de oferecer suporte a uma ampla gama de cores e ao HDR, tudo ao mesmo tempo. Entretanto, já que foi anunciada em novembro do ano passado, existem pouquíssimas TVs com portas que têm suporte a esse padrão, ou mesmo cabos feitos para esse padrão.

Os padrões de cabos HDMI são escondidos, porque o mundo é terrível

A esta altura, você pode estar pensando que já desvendou tudo, como se pudesse sair e encontrar um cabo HDMI 2.0 ou 2.1, plugá-lo e estar pronto para a ação. Mas, infelizmente, em 2012, o grupo de licenciamento do HDMI, em uma decisão estúpida, basicamente proibiu qualquer um de revelar a quais padrões seus cabos oferecem suporte.

Você não pode simplesmente ir até a Amazon e escolher um belo cabo 2.0 e ficar por isso aí. Mas ainda bem que esse guia existe, para que você não tenha que, também, aceitar passivamente qualquer número que venha com um cabo HDMI na hora da busca em sites de varejo.


Eu amo quando tenho que para achar o cabo HDMI certo eu necessito conhecer a sopa de letrinha desses acessórios. Captura de tela: Alex Cranz (Monoprice)

A chave aqui é não procurar por 4K, 60Hz, HDR ou coisas mais complexas, como YUV 4:4:4. Tudo em que você precisa prestar atenção é a largura de banda do cabo. O que você precisa é achar cabos que dizem ser capazes de oferecer suporte a 18Gbps ou mais.

É bom também garantir que esses cabos sejam certificados, já que os sem certificação podem fazer a alegação que quiserem sem, de fato, cumprirem a promessa. Um cabo certificado será um pouco mais caro, mas não muito. É um preço pequeno a se pagar para garantir que sua TV que custou alguns milhares de reais esteja mostrando a imagem que foi projetada para mostrar.

Sabendo a hora de jogar seu cabo no lixo

Então, como é que você sabe se os cabos que você já tem são imprestáveis? Não existem, normalmente, sinais confiáveis no cabo que indiquem isso. Portanto, se você não quer jogar todos os cabos que você tem e ir atrás de outros, precisará checar algumas coisas.

Primeiro, veja o manual da sua TV e confira qual versão de HDMI cada porta aguenta. Muitas TVs, especialmente as mais baratas, talvez tenham apenas a versão 2.0 ou maior em uma porta! Isso significa que existe só uma porta capaz de oferecer suporte a 4K e HDR e todas as coisas as quais a TV se gabou de ter no momento em que você a comprou. Portanto, encontre a porta de HDMI 2.0 na sua TV e plugue um dispositivo com suporte a 4K e HDR. Agora, confirme que o HDR está ligado na TV. Você precisará checar o manual, já que cada TV confirma o HDR de maneira diferente.

Se o HDR estiver habilitato, então tudo bem. Mas se estiver habilitado e você notar que a imagem está travando ou “pixelizando”, isso significa que o cabo não suporta todos os dados e deve ser trocado. Isso é especialmente comum com cabos de mais de 1,8 metro que tentam transmitir imagens em 4K a 60Hz, com ampla gama de cores e HDR. Por esse motivo, raramente é uma boa ideia comprar um cabo com mais de 1,8 metro.

Como bons cabos certificados podem ser encontrados por menos de R$ 70, não existe motivo para você não checar duas vezes seus cabos e trocá-los, caso necessário. Você gasta uma grana em uma boa imagem, então por que desperdiçá-la por causa de um cabo barato?