O novo filme de Ryan Reynolds, Free Guy, mostra uma boa adaptação do universo dos jogos para as telonas. A história de um personagem de videogame que se torna autoconsciente e precisa salvar seu mundo é uma daquelas ideias perfeitas e comercializáveis que Hollywood adora.

E, claro, um longa ambientado em um mundo de videogame terá muitos easter eggs. No final, há alguns que fizeram o público aplaudir. Por isso, trouxemos o principal deles comentado pelo diretor Shawn Levy.

Os próximos trechos contêm spoilers de Free Guy.

No final, Guy (Reynolds) tem que enfrentar uma versão aprimorada de si mesmo, chamada Dude  e acaba sendo uma batalha bastante épica. Guy acaba ganhando com a ajuda de algumas armas icônicas da cultura pop.

Vale ressaltar que o longa foi originalmente criado na Fox, que foi comprada pela Disney. A gigante escolheu quais filmes da Fox queria continuar a produção – incluindo Free Guy – e outros que não queria (como Mouse Guard). Foi quando o diretor Shawn Levy teve uma ideia.

“Nós estávamos tipo,‘ OK, a batalha real do terceiro ato, Guy subiu de nível significativamente. Portanto, ele conhece as regras de seu mundo do jogo e tem acesso a qualquer arma e objeto com os quais poderia sonhar”, disse Levy ao The Hollywood Reporter. “Descobrimos que nossos novos proprietários na Disney possuem algumas das armas mais icônicas já feitas por humanos. Então, literalmente, escrevemos uma carta: ‘Prezado senhor e senhoras, vocês nos dariam o privilégio de usar isso ou isso ou isso?’ E esses eram objetos marcantes de franquias icônicas. Então a Disney respondeu e disse: ‘Sim’. E lembro que pensamos, ‘OK, sim para qual desses itens?’ E eles disseram: ‘Oh, todos eles. Você pode usar todos.’”

Ele está falando, é claro sobre como Guy puxa o escudo do Capitão América e usa o punho verde de Hulk, enquanto toca o tema de Os Vingadores. Isso é seguido pelo protagonista puxando um sabre de luz enquanto, e de repente, surge a música de Star Wars de John Williams. Guy não tem chance contra o poder da propriedade intelectual da Disney, Marvel e Lucasfilm.

Assine a newsletter do Gizmodo

“A fusão nos deu a oportunidade de explorar literalmente US$ 40 bilhões em propriedade intelectual em cerca de 17 segundos, e não posso imaginar que a Disney teria dito sim se não fosse dona do estúdio que estava fazendo o filme”, disse Levy.

Free Guy está em cartaz nos cinemas.