Neil Armstrong foi o comandante da Apollo 11, o primeiro astronauta a pisar na Lua, e um homem cujas realizações foram lendárias – mas ele também era um nerd apaixonado por matemática, ciência e engenharia. Este é o seu manifesto.

Este discurso foi proferido no Clube Nacional de Imprensa em 22 de fevereiro de 2000, e é acompanhado aqui por uma animação de Jorge Cham, o homem por trás do PHD Comics. É muito inspirador. Eis o trecho presente no vídeo:



Eu sou, e sempre serei, um engenheiro nerd de meia branca e protetor de bolso – nascido sob a segunda lei da termodinâmica, mergulhado nas tabelas de vapor, apaixonado por diagramas de corpo livre, transformado por Laplace, e impulsionado por fluxo compressível.

Como engenheiro, eu sinto uma quantidade substancial de orgulho das realizações de minha profissão. [Bill Wulf, presidente da Academia Nacional de Engenharia, disse que] a ciência é sobre o que é, e a engenharia é sobre o que pode ser… Toda a existência de engenheiros é dedicada a fazer as coisas de forma melhor e mais eficiente. (…)

A engenharia é uma profissão que deixa sua marca em nossa sociedade de inúmeras maneiras… Há um século, o mundo realmente precisava de melhorias na qualidade de vida – saúde, mobilidade, padrões de vida. Naquela época, a vida era uma luta constante…

O século XX foi muitas vezes pontuado com o terror da guerra e escurecido com lutas da sociedade para superar a injustiça. Mas foi também o primeiro século em que a tecnologia permitiu que os princípios e as imagens desses traumas alcançassem todo o mundo e tocassem as pessoas em maneiras que antes eram inimagináveis. [John Pierce, engenheiro que criou o Telstar, primeiro satélite para retransmitir sinais de televisão através do Atlântico, disse que] a engenharia ajudou a criar um mundo em que nenhuma injustiça poderia ser escondida. (…)

… muitos vão olhar para trás e ver como nós mudamos e o que alcançamos. (…) O futuro é um pouco nebuloso, mas é razoável sugerir que o século XXI vai desfrutar de uma taxa de progresso não muito diferente do século XX… É algo a se esperar.

Este é apenas um trecho do discurso original, que você pode ler na íntegra aqui. Ele termina de uma forma sensacional: “A terceira lei de Clarke parece particularmente apta hoje: qualquer tecnologia suficientemente desenvolvida é indistinguível da magia. E de fato, este foi um século mágico.”

Neil Armstrong faleceu em 25 de agosto de 2012 aos 82 anos, deixando um legado na exploração espacial. [YouTube]