Usados para identificar traços de parentesco e ancestralidade em seres humanos, testes de DNA também podem ser úteis em animais de estimação. Nos pets, a análise genética permite que o tutor descubra a idade de seu cachorrinho adotado, por exemplo, ou saiba que variedades caninas têm influência em seu doguinho sem raça definida (SDR).

Com o DNA também é possível descobrir doenças genéticas que o pet pode desenvolver ao longo da vida. Ter informações do tipo com antecedência podem até mesmo salvar a vida de seu cachorrinho.

No Brasil, já existe empresas focadas em testes do tipo para cães. Segundo especialistas, eles permitem avaliar mais de 200 tipos de doenças genéticas, além de determinar as raças que compõem a família do cachorro, recuperando até três gerações.

Mas os resultados vão além: dá também para entender os traços de personalidade do bicho e até mesmo o porte físico que um filhote dele terá quando crescer.

O custos de testes de DNA caninos varia entre R$ 600 e R$ 1000.

Assine a newsletter do Gizmodo

Como funciona?

O teste é feito com um kit semelhante ao usado para testes de Covid-19. O tutor ou o profissional responsável coleta uma amostra da parte interna das bochechas do cachorro, que será, então, examinada em um laboratório.

A coleta é colocada em uma solução que extrai as células da haste e libera o DNA. As informações do genoma são analisadas e comparadas com um banco de dados da empresa.

Após toda uma gama de testes e comparações realizadas através de softwares, o dono do cão recebe todo o resultado especificando todos os dados encontrados sobre seu pet.