A “doença do touch” tem afetado muitos iPhones. O problema acontece no iPhone 6 e, principalmente, no iPhone 6 Plus: depois de um tempo de uso, uma barra cinza surge no topo da tela e o touch não funciona direito.

• Falha na touchscreen é a mais nova causa de morte precoce no iPhone 6 e 6 Plus
• Apple é processada por “doença do touch” na tela do iPhone 6 e 6 Plus

A falha acontece porque a solda que conecta dois chips do aparelho que lidam com a responsividade aos toques enfraquece com o passar do tempo. E a “doença do touch” está associada ao “Bendgate”: o iPhone 6 e o 6 Plus são flexíveis na altura dos controles de volume e é nessa altura que os chips ficam. Embora o iPhone 6s e 6s Plus tenham o mesmo design, a Apple usou um alumínio mais resistente para evitar isso.

Segundo a Motherboard, o problema é que a companhia se recusa a admitir o erro e não tem dado nenhum tipo de assistência, suporte ou declaração sobre o defeito. Um consumidor brasileiro processou a Apple por causa disso, inclusive. Clientes com iPhones defeituosos noa EUA tem duas opções: levar o aparelho numa Apple Store, dar uma grana para receber um outro celular recuperado, ou levá-lo numa assistência técnica não autorizada.

Entendendo o problema

Na placa lógica do iPhone 6 e 6 Plus, existem dois chips chamados “Touch IC”, que são responsáveis por interpretar os toques na tela. Eles estão localizados justamente na parte sensível à dobras, e especialmente no 6 Plus, não é difícil entortá-lo; sentar-se com ele no bolso ou deixá-lo cair já é o suficiente. Alguns impactos ou pequenos impactos a longo prazo são suficientes para fazer a solda soltar.

O fato desses chips serem minúsculos deixa o cenário ainda pior. É preciso removê-los e substituí-los, e para isso as assistências técnicas precisam de usar um microscópio. Além, é claro, de ter uma mão super firme e muita habilidade com solda.

chips-touch-icChips Touch IC na placa lógica do iPhone. Imagem: iFixit.

Até agora, ninguém conseguiu ter dados exatos sobre o número de iPhones que estão com a doença do touch. Segundo uma reportagem da Apple Insider, pessoas que trabalham na Genius Bar em quatro grandes Apple Stores nos Estados Unidos disseram que um terço dos problemas com iPhones 6 Plus estão relacionados com o chip Touch IC.

Além disso, os fóruns de suporte da Apple estão cheios de reclamações relacionadas à falta de sensibilidade ou responsividade do touch no iPhone 6 Plus. Ainda assim, a companhia não se posicionou sobre o caso. Alguns clientes alegam, inclusive, que a companhia está censurando algumas discussões ao deletar ou editar comentários.

O escritório jurídico McCuneWright abriu um processo contra a Apple no final de agosto. Segundo eles, a empresa “está ciente dos iPhones defeituosos há muito tempo” e que depois que a ação foi aberta, mais de 6.500 pessoas os contataram afirmando que seus aparelhos tinham sido afetados.

O que a Apple tem feito

Essa geração do iPhone foi lançada há dois anos. Ou seja, são poucos os aparelhos que ainda estão na garantia. Nos EUA, ao levar um celular com o defeito até uma Apple Store, a solução oferecida é a troca do aparelho por um modelo “reformado”. De acordo com uma pesquisa da McCune com consumidores, é cobrado algo entre US$ 100 e US$ 329. Os números batem com a apuração da Apple Insider e da Motherboard.

E é claro que pegar um celular recuperado não é dos melhores negócios. A Apple está cobrando uma grana alta para te oferecer um iPhone que já quebrou e foi consertado, e pior, que tem a mesma falha no design, o que pode levar a doença do touch.

Diversos veículos da imprensa entraram em contato com a Apple, mas a companhia não fez nenhum comentário a respeito do problema até agora.

[Motherboard]