A teoria por trás da economia de energia é a seguinte: um monitor CRT (velho) gasta 74 Watts para mostrar uma tela toda branca, contra 59 W para uma toda preta. Um dado bem discutível, já que testes colocam o valor para metade disso, mas sigamos com esses números para o raciocínio funcionar. Considerando que o Google recebe cerca de 300 milhões de buscas por dia, e cada busca dure 10 segundos, é como se apenas um computador ficasse rodando 833.333 horas num dia. Se esse computador usasse o fundo preto apenas nas buscas, economizaria energia, arvorezinhas e dinheiro. Quanto exatamente? O mundo gastaria uns 750 Megawatt/hora por ano a menos – isso dá um pouco menos que a capacidade da usina nuclear Angra 1, ou uma cidade de uns 600 mil habitantes.

Parece bom? Vale o esforço? Talvez, se você usar um monitor velho (ou de Plasma e OLED, minoria). Em monitores LCD, quase 75% do mercado, não há diferença de consumo – por isso o próprio blog do Google acha a idéia de usar o ecoGNight ou similares sem sentido. 

Há uma semana estou testando o bagulho (é bem fácil de fazer isso no Chrome, meu navegador padrão) e acho que funciona, dá pra se acostumar rápido. Mas  algumas pessoas acham uma idéia absolutamente estúpida, reclamando que o fundo preto é ruim de ler e portanto faz as pessoas perderem produtividade. De fato, quase metade das pessoas têm astigmatismo e ver coisas brancas sobre fundo preto é necessariamente ruim para eles (e eu). Além disso, é mandamento do webdesign não fazer páginas com o fundo escuro demais. Por isso certamente não me acostumaria a trabalhar com um computador usando fundo preto. Mas uns minutinhos do dia na tela de resultados do Google, acho que não machuca. O que vocês acham? Alguém mais aqui usa?