A história é aquela mesma: uma infortunada parceria com a Nintendo incentivou alguns executivos desprezados a insistir na entrada da Sony na indústria de games – uma ambição que não era encarada com muito entusiasmo por líderes tradicionalistas da empresa. Eles cederam, a Sony levantou sua dramática guerra contra a Sega, e você sabe o resto.

As partes mais interessantes dessa história é o que não aconteceu, como os radicalmente diferentes conceitos de marca e de controles. Você sabia que o PlayStation quase foi lançado com um controle que não causaria lesões por esforços repetitivos a pessoas com mãos de adultos? Nem eu! [Edge via Crunchgear]