A Apple vende hoje apenas dois modelos de celular (o iPhone 3GS e o iPhone 4), então parece difícil acreditar que ela ganhou mais dinheiro que a Nokia, que vende diversos modelos de celular – tanto dumbphones como smartphones. Mas é o que diz a consultoria Strategy Analytics: no primeiro trimestre de 2011, a Nokia obteve US$9,4 bilhões com celulares, enquanto a Apple faturou US$11,9 bilhões com o iPhone. Como a Apple conseguiu isto?

Antes de tudo, vale lembrar que estamos falando de receita, não de lucro. O lucro é o dinheiro que fica com a empresa depois de descontados os custos, mas estimar os custos de cada aparelho com precisão é difícil: há muitos fornecedores, fabricantes, patentes e custos fixos a se considerar.

Estimar a receita, no entanto, é algo mais confiável. E a Strategy Analytics estima que a Apple está ganhando tanto dinheiro assim porque vende muito e cobra bem caro – das operadoras. A empresa vendeu 18,65 milhões de iPhones de janeiro a março, e segundo a consultoria, a Apple cobra US$638 por iPhone, em média. Cabe às operadoras dar subsídio. Esse valor dá cerca de R$1.000, mas a Apple provavelmente cobra um valor maior das operadoras no Brasil, devido aos impostos.

A Nokia, por sua vez, vendeu muito mais aparelhos que a Apple: foram 108,5 milhões de celulares no primeiro trimestre, dos quais 24,2 milhões eram smartphones. Só que a Nokia cobra, em média, apenas US$87 por aparelho. É pura matemática: se a venda de celulares é 6 vezes maior, mas o preço médio é 7 vezes menor, a Nokia ganha menos dinheiro.

Mas será que esse valor de US$638 para o iPhone não está alto demais? Nos EUA, por exemplo, o iPhone 4 16GB sem plano custa US$599. Só que o valor da consultoria leva em conta o preço cobrado pela Apple em diversos países do mundo – que são em geral maiores que nos EUA. Mesmo o modelo de 32GB nos EUA custa US$699, mais que o custo médio estimado pela Strategy Analytics. E os próprios números da Apple e da Nokia parecem corroborar os preços estimados pela consultoria.

Bem, ainda assim a Apple não pode ficar parada: a Strategy Analytics lembra que os concorrentes – o Android e os futuros smartphones da Nokia com Windows Phone 7 – querem abocanhar receita da Apple. Eles estimam que, até o final deste ano, teremos mais smartphones com Android que iPhones no mundo. O Android já está em primeiro lugar nas vendas, mas não em número total de smartphones. [Strategy Analytics via CNET]

Foto por mightykenny/Flickr