O primeiro astronauta dos Emirados Árabes Unidos recebeu do país um guia de instruções para seguir as práticas da religião islâmica durante sua viagem.

Hazza Al Mansouri, primeiro emiradense a ir para o espaço, viajou na quarta-feira (25) junto com outros dois astronautas de outros países para a Estação Espacial Internacional, onde ele ficará por oito dias. Ele recebeu um guia feito pela Autoridade de Relações Islâmicas de Dubai com instruções de como fazer o salah (as cinco orações diárias voltadas para Meca) e a ablução (também chamada de abdesto ou wudu, rito de limpeza e purificação feito antes das orações).

O astronauta Hazza Al Mansouri dos Emirados Árabes Unidos durante inspeção da Soyuz MS-15O astronauta Hazza Al Mansouri dos Emirados Árabes Unidos durante inspeção da Soyuz MS-15. Crédito: NASA

Para as orações, dois problemas surgem: como saber o horário a bordo de uma estação que orbita a Terra a 27.500 km/h e vê o sol nascer e se pôr 16 vezes por dia e como se voltar corretamente para Meca.

Sobre a primeira questão, ele recebeu recomendações de seguir os horários da própria cidade de Meca, onde a revelação (a mensagem do islã) foi inspirada, diz o guia. Sobre a segunda, ele deverá tentar se voltar para a Terra, mas se for muito difícil e ele for arriscar perder a hora da oração, deve realizá-la voltado para qualquer lugar.

A Estação Espacial Internacional disponibiliza água para os astronautas, e ela pode ser usada na ablução — lavagem das mãos, face, pescoço e pés. Mesmo assim, o guia recomenda que o astronauta carregue consigo um grão de areia ou uma pedra para realizar a purificação, caso a água não esteja disponível.

O major Al Mansouri não é o primeiro muçulmano a visitar a Estação Espacial Internacional. O malaio Sheikh Muszapher Shukor fez essa mesma viagem em 2007 durante o Ramadã, nono mês do calendário lunar islâmico, em que os seguidores da religião não se alimentam nem bebem no período entre o nascer e o pôr do sol. O jejum é dispensado para aqueles sem condições médicas ou para quem está viajando, mas mesmo assim ele fez questão de segui-lo.

Na ocasião, a Angkasa, agência espacial da Malásia, consultou 150 acadêmicos especialistas na religião islâmica para saber como ele deveria seguir o jejum. Eles definiram que os horários a serem seguidos deveriam ser os do Cazaquistão, local de partida do voo para Estação Espacial Internacional. O Conselho Nacional da Fatwa da Malásia também dispensou a obrigação de orar ajoelhado e permitiu a ablução com uma toalha molhada.

Outras religiões

Levar práticas religiosas para o espaço não é exclusividade dos muçulmanos.

Buzz Aldrin, o segundo homem a pisar na Lua, é ancião presbiteriano. Quando esteve lá, ele tomou a comunhão e leu a Bíblia, na primeira e única cerimônia religiosa feita no satélite natural da Terra até o momento. Uma mensagem do Papa Paulo VI estava entre as muitas de líderes mundiais gravadas em um disco que foi deixado na superfície da Lua.

Antes, três astronautas da Apollo 8, que orbitou a Lua, leram o Livro do Gênesis (e foram processados por um grupo de ateus).

Um Natal da Igreja Ortodoxa Russa também foi celebrado em janeiro de 2011 a bordo da Estação Espacial Internacional, e uma Torá em microfilme foi levada para o espaço em 2003.

[The National UAE, Daily Mail]