Da próxima vez que seu encontro for cancelado via SMS, pode suspeitar. Um novo estudo sugere que pessoas mentem mais do que o comum quando elas se comunicam com texto. A pesquisa comparou o método com conversações cara a cara e por telefone.

A pesquisa analisou 140 estudantes que foram agrupados em pares e receberam papéis para interpretar em um jogo, segundo o LA Times. Um estudante fingia trabalhar na bolsa de valores e outro era um comprador, por exemplo. Os da bolsa de valores descobriam que as ações que eles tinham perderiam 50% do valor em uma semana, e eles receberiam incentivos financeiros para vender o máximo de ações problemáticas para os compradores.

Adivinhe só? Os acionistas mentiam com mais facilidade na hora de vender as ações por meio de mensagem de texto se comparado a outras formas de comunicação — presencial, em vídeo ou até em áudio.

Faz sentido que as pessoas escolham mentir por meio de texto. A opção não inclui nenhum das nuances de comunicação — seja por telefone, vídeo ou vida real. As pessoas não podem reparar no suor das suas mãos via SMS, ou as risadinhas nervosas. Basicamente, você elimina tudo isso.

Mas talvez mais interessante seja o fato de as pessoas ficarem mais bravas quando são enganadas via texto do que quando são enganadas presencialmente. Os pesquisadores acreditam que mesmo em pequenos períodos de tempo, as pessoas constroem laços de confiança quando conversam pessoalmente ou por telefone — confiança o bastante para não ficar tão brava quando alguém mente.

O resumo? Se você for mentir, melhor não fazer por SMS. Mas isso você já sabia, né? [LA Times, Imagem: another.point.in.time]