Esta semana, o Sol esteve irritado: na noite de segunda-feira, ocorreu uma erupção solar de classe X. A sonda não-tripulada SDO (Solar Dynamics Observatory) monitora constantemente o Sol, e capturou a erupção em seis diferentes comprimentos de onda.

Cada erupção solar é classificada em quatro níveis: B, C, M e X. Uma erupção X equivale a 10 erupções M, e uma explosão M corresponde a 100 erupções C. A classe X é a mais forte, causando tempestades de radiação e até suspendendo diversas atividades eletromagnéticas na Terra, como transmissões de rádio. É por isso a NASA fica de olho nessas erupções.

Eis a explicação da NASA sobre a série de fotos acima:

Estas imagens do SDO, capturadas em 24 de fevereiro às 21h25 (horário de Brasília), mostram os primeiros momentos dessa erupção de classe X em diferentes comprimentos de onda de luz… As erupções solares são poderosas rajadas de radiação, aparecendo como flashes de luz gigantes nas imagens do SDO.

A radiação nociva de uma erupção não pode passar pela atmosfera da Terra, nem afetar fisicamente os seres humanos; no entanto, quando é intensa o bastante, ela pode perturbar a atmosfera na camada onde viajam os sinais de GPS e comunicação.

E abaixo segue um vídeo da ejaculação erupção solar, também cortesia da NASA:

Veja a imagem acima em tamanho maior aqui: [NASA]

Crédito da imagem: NASA/SDO