Uma espaçonave russa conseguiu chegar até a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) em menos de quatro horas, o que transformou sua missão de abastecimento a mais rápida da história.

Às 18:51 (horário de Brasília) de 9 de julho, o cargueiro de suprimentos Progress 70 foi lançado junto com o foguete Soyuz 2 do cosmódromo Bakonur, no Cazaquistão. Após três horas e 40 minutos, o cargueiro russo, com mais de três toneladas de comida, combustível e outros suprimentos, chegou à Estação Espacial Internacional. Essa entrega relâmpago constituiu um novo recorde, segundo informa o site Space.

A trágica história do cosmonauta russo que foi enviado ao espaço sabendo que iria morrer
O cosmos é o limite: 60 anos da partida de Laika, a vira-lata cosmonauta

Esse caminho rápido até a ISS fez com que o veículo Progress 70 fizesse apenas duas órbitas da Terra antes de atracar. “O encontro de duas órbitas foi feito graças ao tempo do lançamento do foguete Soyuz, um pouco antes da estação espacial navegar sobre o cosmódromo de Bakonur”, explicou Stephen Clark, do Spaceflight Now.

As espaçonaves russas são as mais eficientes para entregas rápidas de carga. Nos últimos seis anos, o foguete Soyuz fez o transporte tanto de suprimentos como de astronautas até a estação em menos de seis horas, o que precisou de seis órbitas na Terra. Veículos espaciais de carga dos EUA, como os produzidos pela SpaceX e pela Northrop Grumann, geralmente precisam de alguns dias para alcançar a Estação Espacial Internacional.

Essa foi a terceira tentativa da agência espacial russa de reduzir o tempo de viagem até a estação espacial. Antes, por atrasos na decolagem, nos quais unidades de controle tiveram de ser substituídas dentro do foguete Soyuz, forçava os oficiais da ROSCOSMOS (Agência Espacial Federal Russa) a reverter a trajetória, fazendo com que fossem realizadas 34 órbitas em dois dias.

“Acho que finalmente funcionou”, disse Vladimir Solovyov, diretor chefe de voo russo, ao Spaceflight Insider. “Isso é muito promissor no apoio de nossos planos futuros e também para os planos em funcionamento. Então, isso é definitivamente um grande passo à frente. Temos esperado por esse marco há um longo período e esperamos que isso se torne a regra geral daqui em diante.”

A NASA também está interessada nessa nova estratégia de lançamento, conhecida como esquema de encontro de loop duplo, dizendo que “viagens de menos de quatro horas demonstrarão uma capacidade acelerada que pode ser usada em lançamentos futuros de carga e de tripulação”. A agência espacial russa disse que planeja usar a técnica nas próximas missões, mas a NASA ressalta que o esquema precisa ainda ser testado “várias vezes” antes de missões tripuladas o adotarem.

Apesar das precauções, o feito é uma boa notícia para as missões em direção à Estação Espacial internacional. Em menos de quatro horas (tempo de viagem de um voo entre Guarulhos, em São Paulo, e Santiago, no Chile), um astronauta poderá ver a Terra de uma janela da estação espacial. Isso é bem legal.

[NASA, CBCSpaceSpaceflight Now]