As bolas de metal na imagem tem apenas dois milímetros de diâmetro. A imagem, que cobre uma área de cerca de 1 centímetro e foi iluminada por quatro diodos brancos de emissão de luz, foi tirada com a mais nova e avançada câmera da NASA:

O nome da novidade é MAHLI, ou Mars Hand Lens Imager, uma máquina capaz de fotografar imagens com resolução de 15.4 mícrons por pixel. Isso é praticamente o dobro de da resolução da Spirit e da Opportunity, ambas da missão Mars Exploration Rover. A câmera voará com a missão do Laboratório de Ciência de Marte da NASA em 2011, acoplada no braço articulado da sonda Curiosity.

Usando essa câmera, os geólogos chegarão mais perto do que nunca de cada pedra e caixa de areia, analisando as imagens para estudar as composições dos materiais como se eles estivessem realmente no planeta. A imagem acima foi fotografada numa duna de areia perto do Christmas Lake, em Oregon. A partir dela, os geólogos sabem que “os grãos brancos mais largos são fragmentos de pedras-pomes, e os grãos mais escuros e cinzas são fragmentos de basalto. Os cristais quase transparentes e sutilmente amarelos são feldspato. Os cristais e as pedras-pomes foram irrompidas pelo Monte Mazama em sua última explosão, cerca de 7.700 anos atrás; o vulcão é conhecido hoje como o Lago Crater”.

Dê um zoom na imagem para entender a resolução absurda da nova tecnologia, ou visite o site da NASA e baixe a versão com 1600 x 1200 pixels. [NASA]