Enquanto muitos de nós, humanos, enfrentamos dificuldades em lembrar um percurso, os animais marinhos apresentam habilidades incríveis para se orientar enquanto migram. Exemplo disso são os tubarões-de-pala, conforme mostra um novo estudo publicado na última semana na revista Current Biology.

A pesquisa descreve como a espécie de tubarão Sphyrna tiburo utiliza o campo magnético da Terra como uma espécie de “GPS da natureza”, nas palavras do autor principal do estudo, Bryan Keller, ao Sci News.

Os pesquisadores sabiam que os tubarões-de-pala retornam para os mesmos estuários todos os anos, mas eles queriam descobrir se os campos magnéticos eram os responsáveis por oferecer esse direcionamento para casa. Assim, eles decidiram realizar testes com 20 espécimes juvenis.

Os tubarões foram expostos a condições magnéticas que representavam locais a centenas de quilômetros de distância de onde eles foram capturados. A ideia do experimento era observar o comportamento dos animais para compreender se eles dependiam, de fato, das informações magnéticas.

A expectativa era que, quando expostos ao campo que simulava um deslocamento ao norte do seu local de origem, os tubarões tentariam retornar indo em direção ao sul. Já no caso do campo simulando um deslocamento para o sul, eles nadariam para o norte. Caso eles fossem expostos a um campo magnético que correspondesse ao local em que foram capturados, os pesquisadores imaginaram que não haveria uma preferência de orientação.

O resultado foi que o comportamento dos animais correspondeu às expectativas dos cientistas, provando que a teoria estava correta. Ainda de acordo com os pesquisadores, essa habilidade pode exercer um papel importante na estrutura populacional dos tubarões.

Assine a newsletter do Gizmodo

Keller descreveu as descobertas do estudo como algo impressionante, já que “em um mundo onde as pessoas usam GPS para navegar em quase todos os lugares, essa capacidade é realmente notável”.

[Sci News]