Ralf Waldo Emerson certa vez aconselhou: “construa uma ratoeira melhor e o mundo vai construir um caminho até à sua porta”. O mundo ficaria chocado se chegasse à porta de J.E. Bennet, um morador do Texas, nos EUA, em 1882. Foi nesse ano que ele patenteou a ratoeira da imagem acima.

Algumas formas de ratoeiras existem desde os gregos antigos: Batracomiomáquia (A guerra entre rãs e ratos) faz referência a um “ardil de madeira, destruidor de ratos, que eles chamam de armadilha.” Mas a versão mais clássica dela foi criada por William C. Hooker, que ganhou a patente em 1894.

O modelo de Bennet lembra bastante a de Hooker, tendo sido inventada ao menos 12 anos antes; mas aposto que ninguém gostou muito dela. Talvez seja por causa da adição de uma “pistola ou revólver” na armação que fez as pessoas se assustarem. Ele escreveu em seu pedido de patente que queria uma armadilha que poderia destruir roedores escavadores em particular. Ele também pensou que ela poderia servir como alarme doméstico: “Essa invenção também pode ser usada em ligação com uma porta ou janela, para matar qualquer pessoa que tentar abrir a porta um janela na qual ela esteja presa.”

Talvez ele tenha exagerado um pouco nessa armadilha. [Via Ptak Science Books]