As redes sociais e as manchetes estão em êxtase com a estrela gigante vermelha Betelgeuse, uma vez que os astrônomos observaram que ela está ficando mais fraca do que nunca. Sim, a estrela está chegando ao fim de sua vida, e esse fim provavelmente será explosivo.

Mas Betelgeuse está prestes a se tornar uma supernova? A resposta é complicada e, em suma, provavelmente não. O escurecimento pode muito bem ser o resultado do comportamento tipicamente variável da estrela.

Betelgeuse forma o canto superior esquerdo da constelação de Órion e está entre as estrelas mais brilhantes e reconhecíveis do céu. Também é enorme, pesando talvez 20 vezes a massa do sol. Seu raio também é cerca de 900 vezes maior que o do Sol. Se estivesse em nosso próprio sistema solar, ela “devoraria” os quatro planetas mais próximos.

A estrela é relativamente jovem, com menos de 10 milhões de anos, mas sua cor demonstra que está muito adiantada em sua vida. Dada a sua grande massa, os astrônomos esperam que a estrela morra em uma supernova de fogo. É emocionante imaginar como seria uma supernova próxima; Betelgeuse pode entrar em colapso, brilhando mais do que a nossa Lua no céu por semanas ou mais. Mas não espere esse evento em breve.

Os astrônomos têm falado sobre a estrela ficar mais fraca, ou “desmaiar” em termos científicos. Betelgeuse já varia em brilho, de uma magnitude de 0,0 (aproximadamente o brilho da quarta estrela mais brilhante do céu, Arcturus) a uma magnitude de 1,3, um pouco mais brilhante que o planeta Marte. Mas o desmaio que começou em outubro foi rápido e a estrela não está mais entre as 10 estrelas mais brilhantes do céu. De fato, a estrela está agora mais escura do que nunca.

Relacionar o desmaio a uma supernova iminente é uma ideia interessante, mas há muitas outras opções a serem consideradas primeiro. O EarthSky.org relata que processos químicos na superfície da estrela podem mudar seu brilho – o mesmo pode ocorrer com o gás ou a poeira que a obscurecem. Talvez vários ciclos de escurecimento tenham se alinhado. O material que se move ao redor da superfície da estrela também pode estar por trás do escurecimento, de acordo com a National Geographic.

É claro que seria incrível se Betelgeuse virasse uma supernova (e não, isso não nos prejudicaria aqui na Terra). Mas, se formos adequadamente céticos, há outras possibilidades mais mundanas que os astrônomos devem descartar antes de escolher a mais espetacular – e já sabemos que escurecer e clarear é simplesmente parte do comportamento regular de Betelgeuse. Os astrônomos esperam que a estrela se torne uma supernova completa talvez nos próximos 100.000 anos (embora a 640 anos-luz de distância, não veremos a explosão até séculos depois que ela acontecer). Mas o escurecimento atual não significa que uma supernova é iminente.

Eu gostaria de ver uma supernova tanto quanto você. Mas mesmo se ainda tivermos que esperar eras até Betelgeuse partir, existem muitas outras estrelas no céu. A astrofísica da Universidade de Toronto, Yvette Cendes, observou no Reddit que Eta Carinae pode ser a nossa melhor aposta para a próxima.