A versão mais conhecida do Popcorn Time, que ficava no domínio popcorntime.io, foi retirada do ar em outubro. Agora, a MPAA – entidade que representa os grandes estúdios de cinema – diz que é a responsável por isso.

Segundo o Hollywood Reporter, grandes estúdios – incluindo Disney, Universal, Paramount, Fox e outros – processaram desenvolvedores do Popcorn Time no Canadá, e conseguiram uma ordem judicial para que o popcorntime.io fosse fechado.

Além disso, a MPAA entrou com um processo na Nova Zelândia contra o suposto operador do YTS/YIFY, site de torrents que era a principal fonte de filmes do Popcorn Time, com cerca de 4.500 títulos. Após uma ordem judicial, o YTS também saiu do ar. (Cuidado: há uma versão alternativa que é falsa.)

A ofensiva começou em outubro: os processos judiciais tramitavam sob sigilo, e só agora puderam ser revelados. Fontes dizem ao TorrentFreak que os envolvidos estão tentando fazer um acordo para não serem presos, “possivelmente uma troca de informações”.

O Popcorn Time chegou a 1,5 milhão de visitantes únicos em julho, segundo a MPAA.

A entidade acusa os desenvolvedores do Popcorn Time de ganharem dinheiro com pirataria: eles oferecem um serviço de VPN, chamado VPN.ht, que era integrado ao serviço de streaming e tinha planos pagos.

Segundo o TorrentFreak, isso criou uma disputa interna: um desenvolvedor sugeriu refazer o serviço do zero sem associações à VPN, mas foi expulso do projeto. Outros dissidentes abandonaram o barco. Isso foi motivado por rumores de um processo judicial contra o Popcorn Time – que eram reais, como agora sabemos.

Os desenvolvedores migraram para o projeto Butter, semelhante ao Popcorn Time, mas que promete “operar em um enquadramento jurídico absolutamente claro”.

O “Netflix pirata” não acabou de vez, já que o projeto tem código aberto, mas as alternativas não são confiáveis. O Time4Popcorn é acusado de incluir adware, e o Popcorn Time Brasil oferece apenas um link falso que faz você baixar outro programa.

Em outubro, uma versão do Popcorn Time para navegadores, que não exigia downloads adicionais, também saiu do ar permanentemente após pressão da MPAA.

[Hollywood Reporter via TorrentFreak]

Foto por level17/Pixabay