De acordo com um estudo divulgado pela Escola de Engenharia da Universidade RMIT (Austrália) e publicado na revista Aerospace, é mais provável que falhas técnicas com drones causem um acidente, em comparação com erros humanos.

Aeroportos americanos testarão “raio da morte” contra drones amadores intrusos
O drone amador que parece um pequeno avião é pensado para iniciantes



Os pesquisadores analisaram 150 incidentes relatados entre 2006 e 2016, e descobriram que 64% deles ocorreram devido a problemas técnicos. Na maioria dos casos, falhas de conexão eram as principais culpadas.

Isso destaca um dos problemas-chave com o tráfego de drones amadores: não existem salvaguardas para o caso de um erro técnico. Aeronaves de grande porte, tais como da Airbus ou Boeing, têm “sistemas redundantes triplos” para comunicações, diz o pesquisador Dr. Graham Wild em um comunicado.

Nós ainda estamos numa fase intermediária, entre a vontade de testar drones plenamente em todos os espaços imagináveis, e a necessidade de sermos cautelosos quanto a isso. Isso significa que continuaremos a encontrar maneiras em que drones podem ser perigosos. Isso também nos aproxima cada vez mais de um mundo em que eles se tornarão mais presentes.

“Algumas das melhorias que reduziram os riscos em aeronaves também poderiam ser usadas para melhorar a segurança dos drones”, acrescenta Wild. “Entender o que acontece com drones, mesmo aqueles que não causam danos a pessoas ou bens, é essencial para melhorar a segurança.”

[RMIT University]

Foto por Alex Brandon/AP