Muito se discute sobre os riscos para a saúde de ficar tempo demais sentado em frente a uma mesa, ou passar uma noite inteira assistindo TV sentado no sofá. Agora um estudo descobriu que apenas uma hora de atividade moderada por dia elimina os impactos negativos do comportamento sedentário – contrariando estudos antigos que diziam que exercícios físicos não ajudavam muita coisa.

Por que sua rotina de exercícios físicos de repente para de ajudar na perda de peso
A ciência da gordura: como ela é armazenada no corpo – e como queimá-la



“Nossa mensagem é positiva”, diz o autor Ulf Ekelund, da Escola Norueguesa de Ciência dos Esportes e da Universidade de Cambridge, em um comunicado. “É possível reduzir, ou até eliminar, esses riscos se nos mantivermos suficientemente ativos, mesmo sem precisar praticar esportes ou ir à academia.”

O estudo faz parte de uma série de quatro artigos científicos publicados na The Lancet, junto com diversos comentários, há poucos dias do início dos Jogos Olímpicos do Rio. Não é coincidência. É a sequência de outra série publicada em 2012 na The Lancet que declarou a inatividade física como uma “pandemia global”, e estimou que 5,3 milhões de pessoas morrem diariamente devido à inatividade. A série de 2016 examina quanto progresso tivemos nos últimos quatro anos para combater isso.

Um pouco de exercício por dia

Ficar sentado por longos períodos de tempo – como muitos de nós fazemos durante o trabalho – e fazer maratonas em frente à TV são os novos grandes riscos para a saúde humana. Ao longo dos últimos anos, diversos estudos alegavam ter encontrado ligações entre nosso estilo de vida sedentário e ataques cardíacos, doenças renais, doenças crônicas, e câncer colorretal. Outros alertaram que esse tipo de comportamento diminui nossa expectativa de vida e nos causa problemas mentais. E mesmo para os que se exercitam regularmente as coisas não pareciam boas, já que um estudo do Mayo Clinic descobriu que cada hora sentado reduz os ganhos dos exercícios diários por 8%.

Agora as boas notícias: a última parte pode não ser verdadeira, no fim das contas. No começo do ano, outro estudo, agora feito por pesquisadores da Universidade de Leicester, descobriu que pessoas que se exercitam regularmente se livram dos efeitos colaterais de passar o dia inteiro sentado. E a mais recente meta-análise publicada na The Lancet reforça essa conclusão.

Uma hora de exercícios moderados é duas vezes a quantidade recomendada de exercícios pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Mesmo 30 minutos por dia pode ser benéfico para a saúde, mas se você realmente quer se livrar de todos os riscos de passar muito tempo sentado, os pesquisadores concordam que é melhor fazer o dobro disso. Isso não quer dizer que você precisa fazer atividades intensas na academia, nem se preparar para uma maratona. Qualquer coisa que aumenta sua frequência cardíaca conta, incluindo uma agradável caminhada para o trabalho ou um passeio de bicicleta.

Tenha em mente que essa é uma meta-análise de pesquisas anteriores. De acordo com Ekelund, ele e seus colegas inicialmente vasculharam a literatura científica existente e escolheram 13 estudos que relacionam quanto tempo as pessoas passam sentadas e mortalidade (definida como morte prematura). Eles então entraram em contato com os autores originais e pediram que eles reanalisassem os dados usando os mesmos parâmetros. Isso deu uma amostra de tamanho grande: mais de 1 milhão de pessoas.

Ekelund e seus colegas dividiram essas pessoas em quatro grupos iguais, com base no nível de atividade física – menos de cinco minutos por dia a até uma hora ou mais diárias. Eles descobriram que os que eram sedentários por oito horas diárias, mas combatiam isso com uma hora de atividades físicas, tinham muito menos riscos do que os que não passavam sentados por muito tempo, mas também não eram ativos fisicamente. Isso sugere que não é a questão de estar sentado, e sim a quantidade de exercícios físicos que é o fator mais relevante.

Ajuda menos, mas também ajuda quem vê TV demais

E em relação a fazer maratonas de programas de TV, que pode ser uma atividade ainda mais passiva do que digitar na frente de um computador? Várias notícias histéricas recentes falam que assistir muita TV vai acabar nos matando.

Algumas coisas fundamentam essa preocupação. Um estudo de 2014 na Espanha descobriu que assistir três ou mais horas de TV por dia pode dobrar a possibilidade de uma pessoa morrer nos anos seguintes. Sentar em frente à TV também já foi vinculado ao aumento nos riscos do desenvolvimento de câncer de cólon e pulmão. Recentemente, outro estudo apareceu alertando para os riscos de fazer longas maratonas na frente da TV – desta vez mostrando os riscos de morrer de um coágulo de sangue nos pulmões.

Mais uma boa notícia: uma hora de exercício diário ajuda a reduzir esse risco, segundo Ekelund, apesar do impacto benéfico não ser tão forte. Ele atribui a diferença ao que chama de “confusão residual”, isso é, outros fatores que provavelmente influenciam o resultado da análise. Algumas pessoas podem ter um estilo de vida menos saudável no geral, outros podem beber e comer mais em frente à TV, e tudo isso pode impactar nossa saúde.

Para os que podem protestar e dizer que uma hora de exercícios moderados por dia não é um tempo razoável para pessoas muito ocupadas, Ekelund disse que a quantidade média de tempo que adultos no Reino Unido costumam passar em frente à TV é de 3 horas e 6 minutos. “Não sei se é pedir demais que talvez um pouco dessas três horas sejam dedicadas às atividades físicas,” ele disse. Mas ele lembrou de um bom conselho: “Sente menos e se mexa mais, e quanto mais melhor.”

[The Lancet]

Foto via Iain Watson/Flickr