Você se lembra do Mapa do Maroto, usado pelo Harry Potter para localizar (e acompanhar o movimento de) qualquer pessoa dentro de Hogwarts? Agora, uma extensão para Chrome com funções parecidas identifica a localização e traça o movimento dos seus contatos no Facebook Messenger.

>>> Como impedir que Facebook use sua agenda do celular para ver contatos do WhatsApp

Chamada de “Marauder’s Map” (nome original de Mapa do Maroto, em inglês), a extensão usa os dados de GPS do Messenger — que são armazenados pelo aplicativo — para localizar e formar o trajeto feito pelos usuários. Ele não é em tempo real, mas ainda assim é um tanto preocupante a forma como o mapa traça o percurso feitos por seus contatos.

Aran Khanna, estudante de ciências de computação de Harvard e autor da extensão, explica que o Messenger utiliza coordenadas de latitude e longitude com mais de cinco decimais de precisão, tornando possível identificar a localização de um usuário com metros de exatidão.

Para exemplificar como o GPS do Messenger é terrivelmente preciso, Khanna mostra a rotina de um conhecido dele: o app identifica o local exato do dormitório deste contato na universidade, além de expor o trajeto feito por ele durante a semana. O mapa faz até mesmo atualizações hora a hora da localização de alguém.

Dados da rotina de um colega de Khanna armazenados pelo GPS do Messenger

No entanto, o que mais preocupou Khanna é o fato de não ser necessário ser amigo de alguém no Facebook para ter acesso a seu mapa de localização – basta enviar uma mensagem e esperar pela resposta. Se a pessoa responder, você ter acesso à geolocalização dela com alta precisão.

Compartilhar a própria localização é algo já costumeiro dessa geração e está longe de ser o primeiro aplicativo que faz este tipo de coisa — o Google Latitude (descontinuado há alguns anos) usava o Google Maps para localizar seus amigos em tempo real; o Foursquare e o Swarm permitem que você faça check-in em estabelecimentos, divulgando a sua localização aos amigos.

O Messenger, por outro lado, é usado para conversas instantâneas, não para divulgar geolocalizações — e muitos talvez nem saibam que está é uma função presente e padrão do aplicativo, algo que Khanna menciona ser usado com certa frequência no comportamento humano: são poucos os que dedicam o mínimo de esforço para desativar funções padrão manualmente.

Khanna expôs um problema até então ignorado (ou não percebido) por usuários do Facebook. Compartilhar nossa localização se tornou algo banal, mas talvez não tenhamos noção das possíveis consequências que esta super exposição pode nos trazer. Ele explica:

“Decidi escrever essa extensão porque nos dizem constantemente como estamos perdendo a nossa privacidade com o aumento da digitalização das nossas vidas, entretanto, as consequências nunca parecem tangíveis. Com este código, você pode ver por conta própria como a informação que você compartilha é potencialmente invasiva, e pode decidir por si mesmo se isso é algo que preocupa você”.

Você pode baixar a extensão neste link, mas talvez não consiga usá-la: o estudante explica que ela atingiu o limite de tráfego e pode apresentar erros no funcionamento — tentamos testá-la no Gizmodo Brasil, mas o mapa ficou em branco.

Ainda segundo Khanna, o Facebook está ciente do problema e já estuda uma correção — a brincadeira vai durar pouco, mas serve de alerta para todos nós. Enquanto isso, convém desligar isso no app do Messenger: toque na engrenagem e desative a opção “Localização”. [Medium via Engadget]

Desativar localizacao no Messenger

Créditos: screenshots de Aran Khanna; foto por Kārlis Dambrāns/Flickr