Um mergulhador profissional estava na região do arquipélago de Haida Gwaii, na costa oeste do Canadá, e acabou encontrando no fundo do mar um objeto que parece bastante uma arma nucelar que foi solta por um bombardeiro US B-36 há 66 anos. O governo do Canadá está enviando navios até a área para investigar.

A verdadeira escala de bombas nucleares é totalmente assustadora
Caçadores de restos de navios descobriram embarcação afundada há mais de 200 anos

Sean Smyrichinsky estava nadando próximo aos pepinos do mar quando notou um objeto que parecia um disco voador. “Acabei dizendo aos meus colegas, que estavam no barco, que tinha achado um Ovni. E que era bem esquisito’. Então, depois que voltei, fiz um desenho, pois não estava com uma câmera”, disse ele ao Vancouver Sun. Ele recontou a história após alguns dias para pescadores, o que fez com que um deles dissesse: “Eita, acho que você pode ter encontrado uma bomba.”

bombardeiro-b36

Um avião bombardeiro B-36. (Imagem: Royal Aviation Museum of Western Canada)

Esta “bomba” pode ser muito bem um dispositivo nuclear perdido pelo bombardeiro US B-36, que colidiu próximo à região do arquipélago Haida Gwaii, em 13 de fevereiro de 1950. O avião estava viajando do Alasca em direção à base da força aérea Carswell, no Texas, durante um exercício militar para simular um ataque nuclear direcionado à cidade de San Francisco. O fato é que o avião carregava a estrutura de uma bomba nuclear Mark IV, mas em vez de conter plutônio, a bomba estava carregada com chumbo e explosivos — para ser claro, não era uma bomba nuclear, pois não continha material nuclear.

Os pilotos deveriam abandonar o avião após acumular gelo nas asas, e três dos seis motores pegarem fogo. A equipe então era forçada a detonar a bomba sobre o Oceano Pacifico para assegurar que nunca seria recuperada pelos Soviéticos. O avião estava no piloto automático e voou até colidir no Monte Kologet, cerca de 300 km a nordeste de onde a equipe saltou. Cinco membros da equipe morreram (provavelmente por hipotermia), mas 12 foram resgatados após terem pulado de paraquedas na ilha da Princesa Real, na Columbia Britânica.

Baseado na descrição de Smyrichinsky, é bem provável que ele tenha se deparado com esta relíquia da Guerra Fria. A bomba Mark IV, que tinha uma espécie de formato de dirigível. pesa quase 5 toneladas e mede 1,5 metro de comprimento. “Achei esta tigela gigante, de quase 5 metros, talvez maior. Imagine uma espécie de chapéu de cogumelo, pois era com isso que se parecia”, afirmou ao Vancouver Sun. Após ver as fotos de uma Mark IV na internet, Smyrichinsky acredita que ele achou o compartimento de explosivos, que conta com uma série de bolas.

Smyrichinsky decidiu entrar em contato com o departamento de Defesa do Canadá que, por sua vez, já alertou as autoridades dos Estados Unidos. A bomba provavelmente não está ativa ou representa uma ameaça, porém o Canadá está enviando embarcações para o local para se assegurar de que não há perigo.

[Vancouver Sun, BBC]

Foto do topo: Uma réplica de uma Mark IV em um museu canadense. Imagem: Royal Aviation Museum of Western Canadá.