Você acha que um filme pornô 3D no cinema não daria certo? Bem, você está errado! O filme Sexo e Zen: Êxtase Extremo mal estreou em Hong Kong e mais de 5.000 ingressos já foram vendidos, segundo o Hollywood Reporter. Pior: como o filme é proibido na China, vários chineses estão organizando excursões para ver o filme em Hong Kong. “Os espectadores vão se sentir como se estivessem na beira da cama”, disse o produtor Stephen Shiu Junior. Eita.

Este não é o primeiro filme pornô em 3D, e com certeza não é o primeiro pornô a passar no cinema. Mas Sexo e Zen: Êxtase Extremo não tem nada de comum para nós: é um filme pornô chinês (você já viu um antes?), uma refilmagem de um filme de 1991 (remake de pornô?), e baseado em um texto erótico de 1657 (pra você dar a desculpa que o filme é “arte”). E o filme ainda deve ser lançado em salas IMAX 3D: segundo o Hollywood Reporter, o filme está esperando autorização da empresa IMAX para lançar o filme em suas salas.

O filme original foi produzido por Stephen Shiu Junior em colaboração com seu pai, Stephen Shiu. Sexo e Zen fez bastante sucesso em 1991, arrecadando US$2,6 milhões na bilheteria, e ainda é bastante conhecido em Hong Kong. E pelo visto, a versão 3D vai fazer sucesso também: foram 5.000 ingressos na venda antecipada, e segundo Shui, até 100.000 ingressos vendidos para chineses que vão fazer excursão para ver o filme em Hong Kong.

Sexo e Zen: Êxtase Extremo foi filmado com as poderosas câmeras RED de resolução 4K, e custou US$3,2 milhões. Ele deve estrear em Hong Kong e Taiwan na semana que vem, e depois o filme deve ser lançado em outros países, como na Austrália, França e Peru, retirando cenas do filme quando necessário – por exemplo, parece que o pessoal da Cingapura não curte cenas de sexo com sadomasoquismo e sexo grupal, então eles vão tirar cenas assim do filme.

Este não deve ser o único pornô 3D a estrear nos cinemas: o diretor italiano Tinto Brass planeja um remake em 3D do seu clássico Calígula, de 1979. Mas fica a pergunta: como as pessoas vão se… uhm… excitar com todo mundo olhando? [Hollywood Reporter; The Independent via O Globo; imagem via]