No dia 29 de novembro de 2015, os quase 200 mil habitantes do município de Rio Verde, em Goiás, ficarão sem sinal analógico de TV. A cidade é a primeira do cronograma do Ministério das Comunicações, publicado no Diário Oficial da União, para o fim desse tipo de transmissão. As datas se estendem até o final de 2018. A faixa de 700 MHz será liberada para o 4G — a proposta do edital já foi publicada e a previsão é de que o leilão ocorra em agosto.

Este primeiro será um desligamento-piloto. Os outros devem começar mesmo a partir de 2016, começando pelas capitais –elas foram as primeiras a receber o sinal digital–: Brasília, no dia 3 de abril; São Paulo, em 15 de maio; Belo Horizonte, 26 de junho; Goiânia, 28 de agosto; e Rio de Janeiro, 27 de novembro.

Em 2017, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Salvador, Fortaleza, Recife e Vitória se juntam a essa lista, bem como algumas regiões do interior, como Campinas, Ribeirão Preto, Vale do Paraíba, Santos, São José do Rio Preto, Bauru, Presidente Prudente e Interior. A última data da lista (que pode ser vista aqui, neste arquivo PDF) é 25 de novembro de 2018, quando o sinal da TV analógica desaparecerá do país — esta decisão já havia sido anunciada em abril do ano passado, mas faltava uma data específica.

No entanto, o documento do Ministério das Comunicações ainda precisa esclarecer as coisas melhor, como aponta o Teletime:

A publicação do cronograma gera algumas dúvidas entre empresas de radiodifusão. Em primeiro lugar, cidades economicamente importantes, que dependem do switch off para a entrada do 4G, ficaram para a última etapa, como é o caso de Uberlândia/MG. Outra dúvida é em relação ao desligamento das cidades cuja transmissão depende de outras. É o caso de Formosa/GO, por exemplo. Não se sabe se o desligamento de Formosa deve ser feito junto com Brasília, ou se ficaria para 2018.

Seja como for, o fato é que o sinal da TV analógica está com seus dias contados. Ufa. Eu já não aguentava mais ouvir o vizinho gritando gol antes do chute aparecer na telinha lá de casa. [Teletime via Manual do Usuário]