Uma equipe de físicos de partículas queria “revelar os segredos mais profundos do Universo — e da cozinha sueca”. Portanto, naturalmente, eles construíram um colisor de almôndegas suecas.

A colaboração MEAL (refeição em inglês), ou MEatball AcceLerator (Acelerador de Almôndegas), poderia responder a importantes questões como por que somos feitos de almôndegas, e não de antialmôndegas, ou se podemos criar almôndega escura. O experimento de prova de conceito foi um sucesso.

Em meio a isso tudo, teve até aula de física de partículas de verdade. “O que aprendi do jeito difícil: é SUPER DIFÍCIL fazer com que partículas colidam”, afirmou Caterina Doglioni, pesquisadora da Universidade de Lund, na Suécia, em entrevista ao Gizmodo. Quando não está trabalhando com física de almôndegas, Doglioni normalmente está analisando colisões de partículas no maior acelerador de partículas do mundo, o Grande Colisor de Hádrons, no CERN.

O colisor. Foto: The MEAL Collaboration

O MEAL é um “conceito de colisor linear revolucionário”, um par de aceleradores lineares “sincronizados por um disparo humano”, explicou Rebeca Gonzalez Suarez, diretora geral, porta-voz e física de partículas do MEAL na Universidade de Uppsala, na Suécia. O experimento foi um sucesso, tendo a ajuda do diretor técnico e engenheiro David Cox.

Foto: The MEAL Collaboration

Houve desafios: teve carne ficando presa no cano de disparo, e foi difícil fazer com que as almôndegas de fato colidissem umas com as outras. O projeto ofereceu lições valiosas da vida real, como, por exemplo, como administrar projetos com restrições de tempo e orçamento e como várias revisões de design são necessárias antes de se chegar ao produto final.

O experimento e a colaboração super sérios foram parte da Stupid Hackathon Sweden deste ano, um evento para se “construir tudo que não deveria ser construído”, de acordo com uma tradução do site do evento.

Confira abaixo o MEAL em ação:

O MEAL vem com uma importante ressalva, apontada na apresentação da equipe: “Não é nisso que trabalhamos e nem como trabalhamos na vida real — estamos fazendo isso em nosso tempo livre e fora de qualquer capacidade oficial, tentando nos divertir um pouco sem nos levarmos muito a sério”.

Entretanto, eles têm objetivos ousados para as próximas etapas, de acordo com os slides do projeto: “Conseguir financiamento para um colisor de almôndega—antialmôndega que tenha a circunferência do Sistema Solar e almôndegas do tamanho da Terra”.