O futuro do armazenamento em seu laptop sem dúvida é o SSD, só que é mais difícil prever como as quantidades gigantescas de dados em servidores ao redor do mundo serão guardados no futuro. Há, no entanto, quem preveja o renascimento de uma tecnologia antiga: a fita cassete.

Segundo a New Scientist, “uma nova onda de drives ultradensos de fita” parece destinada a substituir os discos rígidos como o principal meio de armazenamento em servidores. E eles armazenariam tudo, desde perfis do Facebook até filmes para streaming em HD.

As novas fitas foram desenvolvidas pela Fujifilm no Japão, e pela IBM em Zurique. O primeiro protótipo é um quadrado com 10cm de lado e 2cm de espessura, e consegue armazenar incríveis 35 terabytes de dados. Essa densidade de dados é obtida usando uma fita magnética revestida com partículas de ferrita de bário – e ganha fácil de discos rígidos.

Claro, a motivação real por trás da pesquisa não foi guardar suas fotos do “Face”. Em vez disso, esta solução foi projetada para o telescópio Square Kilometre Array. Quando entrar em funcionamento em 2024, ele vai produzir 1 milhão de terabytes de dados por dia, segundo estimativas. Isso já seriam inúmeras fitas magnéticas – imagine se fossem discos rígidos?

Agora, os pesquisadores da Fuji e da IBM planejam encolher ainda mais o novo drive de fita magnética, a fim de espremer 100 terabytes em cada cartucho. Claro, fitas não são perfeitas: elas são mais lentas para acessar do que discos rígidos, por exemplo. Mas para arquivos grandes como os criados pelo SKA, elas podem ser o futuro. [New Scientist]

Foto por Arild Andersen sob licença Creative Commons