Se um amigo te falasse que quer ir para a Lua e que se você assinar um cheque ele vai mandar suas selfies junto, provavelmente você falaria para ele procurar um emprego. Mas quando um grupo de engenheiros experientes faz essa mesma sugestão, é melhor prestar atenção no que eles estão dizendo.

Uma pequena equipe de engenheiros anunciou um projeto chamado “Moonspike“, a primeira campanha de crowdfunding do mundo para enviar um foguete à Lua. A equipe, que reúne anos de experiência na construção de foguetes para a Copenhagen Suborbitals e NASA, já tem o plano detalhado: na campanha do Kickstarter, você encontra um documento de 30 páginas com detalhes técnicos do foguete que eles querem mandar para a órbita terrestre baixa.

Da órbita terrestre baixa, uma pequena nave espacial será lançada em direção à Lua. Durante sua jornada de quatro dias, o progresso da nave será monitorado e compartilhado com o mundo através de vídeos e um blog. Por fim, ela vai se jogar na Lua, deixando outra marca da nossa ambição tecnológica na superfície lunar por anos, talvez séculos.

lua

O projeto todo está aqui em PDF caso você queira saber como vai funcionar. A equipe Moonspike só precisa de uma pequena ajuda para colocar o projeto em prática – um milhão de dólares, na verdade.

O que os possíveis investidores podem ganhar em troca de jogar o dinheiro nesse projeto do Kickstarter que pode nunca ver a luz do dia? Bem, se o projeto atingir seu objetivo, e a equipe conseguir um local adequado para o lançamento, e não enfrentar nenhum problema jurídico por querer lançar 22 toneladas de metal da superfície da Terra para cair no nosso vizinho mais próximo, então você será um dos poucos privilegiados que ajudaram a transformar esse sonho em realidade.

Mas se isso não for o bastante, e claro que não é, há algumas outras vantagens. Você poderá enviar suas fotos, vídeos e dados pessoais para a Lua, em um baú de memórias especial protegido de radiação que irá dentro da carga da nave. Uma cápsula do tempo! Essas coisas não funcionam muito bem aqui na Terra, mas na Lua a história é diferente: não há atmosfera e nem decomposição. Suas selfies e memórias vão viver infinitamente na Lua, mesmo se houver uma destruição nuclear em nosso planeta.

Daqui a milhares de anos, você pode acabar se tornando um dos poucos rostos humanos estudados por arqueólogos alienígenas que querem aprender sobre espécies extintas. Você estaria disposto a pagar por isso? [Moonspike]