Quer você goste ou não, aos poucos o mercado tem dado cada vez mais opções de fones de ouvido sem fio. Até porque aparelhos com fio são datados, e carregar dongle é péssimo — se você tem um fone convencional e um smartphone USB-C sem entrada P2, sabe do que estou falando.

Com base nisso, a Sony mostrou em evento realizado em São Paulo sua nova linha de fones de ouvido sem fio para o mercado brasileiro. Um dos destaques é o elogiado WH-1000XM2, que foi lançado no ano passado e vai chegar ao mercado local em junho por R$ 1.290 na Sony Store, loja virtual da companhia.

Primeiras impressões dos AirPods: os fones de ouvido sem fio da Apple não decepcionam
Os prós e contras de remover a entrada para fone de ouvido dos smartphones

Lá fora, bastante gente falou bem do fone de ouvido, que custa US$ 300 (cerca de R$ 1.100 com o câmbio atua em conversão diretal). O Gizmodo US chegou a dizer que esse fone Bluetooth com cancelamento de ruído é melhor que o Bose QuietComfort 35 e destacou uma funcionalidade chamada Adaptive Sound Control.

Com esse recurso ativado via aplicativo, o fone WH-1000XM2 consegue ajustar o som baseado no áudio ambiente, adaptando o que estiver sendo ouvido conforme o ambiente em que se está. Logo, se alguém precisar falar com você, o sistema vai reconhecer e “abaixar” o volume — talvez essa funcionalidade evite que você seja atropelado ou que você entenda o que um motorista de aplicativo está falando com você.

Dentre os destaques do fone, é possível ainda citar a autonomia prometida de 40  horas — em testes do Gizmodo US, o fone chegou a ter uma autonomia de 38 horas — e o sistema de controle por gestos.

Na concha direita do fone, o usuário pode dar um toque nele para interromper a música; arrastar os dedos para cima para aumentar o volume; ou arrastar para a frente, para ir para a próxima música. Na rápida experiência que tive com o fone, esses comandos não funcionaram muito bem, exceto pelo de interromper a música — talvez seja a falta de prática ou o recurso não é tão bom (só testando melhor para ver).

O preço do fone de ouvido, no caso R$ 1.290, não é dos mais baratos, mas a chegada desse modelo pode acirrar a concorrência. O Quiet Comfort 35, da Bose, pode ser achado em varejistas brasileiros a partir de R$ 1.750. Outro concorrente é o Beats Solo 3, que é vendido por R$ 1.799.

Fones abaixo de R$ 1.000

Para quem não quer gastar mais de R$ 1.000, a Sony mostrou ainda um outro fone estilo concha que tem noise-cancelling. Trata-se do CH700N, que tem uma autonomia de 35 horas e preço sugerido de R$ 670.

Modelo CH700N é versão “mais acessível” de fone Bluetooth com cancelamento de ruído

Existe ainda uma versão mais magra desse fone e sem noise cancelling, o modelo CH400, com autonomia de até 20 horas e que vai custar R$ 300. Ambos os modelos estarão disponíveis a partir de junho.

Fone de ouvido CH400

Imagem do topo: Divulgação