Para os entusiastas do mundo dos smartphones, o próximo mês de julho promete novos aparelhos que ainda estão envoltos em mistérios e que, por isso, tem gerado muita especulação nas últimas semanas.

Estes são os aparelhos mais esperados para julho.

1. Nothing Phone 1

Desta lista, este é o aparelho mais aguardado, com previsão para ser anunciado oficialmente no dia 12 de julho. O smartphone é o primeiro a ser lançado pela nova marca Nothing – criada por Carl Pei, co-fundador e ex-diretor da One Plus. Por enquanto, não se sabe muito sobre as configurações oficiais do novo dispositivo. Porém, o hype está tão alto que tem gente disposta a pagar mais de 3 mil dólares pelo smartphone intermediário.

2. ROG Phone 6

Prosseguindo com a linha de smartphones voltados para o público gamer, a Asus deve lançar no dia 5 de julho o sexto aparelho ROG Phone. A expectativa é que ele traga o recente chipset da Qualcomm — o Snapdragon 8+ Gen 1 –, além de uma tela LED secundária, botões de gatilho, até 18GB de RAM, bem como suporte para ventoinha externa (que já estava presente no modelo anterior).

3. Realme GT 2 Master Edition

Outro celular misterioso que será lançado em julho é o Realme GT 2 Master Edition, que também deve vir com o Snapdragon 8+ Gen 1, uma tela com taxa de atualização de 120 Hz, uma variante com até 12GB de RAM, além de rodar o Android 12.

4. Vivo iQOO 10

Apesar de não ser muito famosa no Brasil, a chinesa Vivo também deverá lançar nas próximas semanas a nova linha iQOO 10. O destaque para o aparelho é que rumores apontam que o iQOO 10 Pro deverá ser o primeiro smartphone a trazer o novo chip Dimensity 9000+, da Midiatek, que possui oito núcleos, frequência de 3,2 GHz, acelerador gráfico Arm Mali-G710 MC10, além do modem 5G.

5. Xiaomi 12 Ultra

Ainda em julho, é esperado que a Xiaomi lance seu aparelho mais poderoso da série 12. Segundo o Indian Express, ele também deve rodar o Snapdragon 8+ Gen 1, pode ter uma construção em couro e cerâmica, além de trazer melhorias significativas no conjunto de câmeras, graças à recente parceria da Xiaomi com a alemã Leica.