A Amazon se define como uma geradora de empregos. E, para entender isso, você só precisa ver os pacotes de subsídios ridículos oferecidos pelas cidades na concorrência para ser a casa da segunda sede da empresa. Porém, de acordo com pedidos de registros públicos obtidos pelo Intercept, a Amazon pode drenar os cofres públicos de outras maneiras, com cinco estados listando o império de Jeff Bezos como um dos principais beneficiários dos dólares do Supplemental Nutrition Assistance, programa assistencialista de food stamps (“vales-refeição” oferecidos pelo governo dos EUA).

• Amazon quer que Azul transporte seus produtos no Brasil
• Agora você pode comprar produtos dos EUA na Amazon e recebê-los em casa sem segredo

O problema em relação aos funcionários da Amazon dependendo de food stamps pode ser mais amplo do que imaginamos, já que esta notícia representa apenas os dados disponibilizados publicamente até agora. Mas em Kansas, Pensilvânia, Washington, Ohio e Arizona, a Amazon está entre os 20 maiores beneficiários do Supplemental Nutrition Assistance — no Arizona, as coisas estão particularmente terríveis, com um a cada três funcionários da Amazon dependendo de food stamps para comer.

É um golpe brilhante, quando visto de longe: a Amazon promete empregos — frequentemente, trabalhos de triagem de baixo nível de habilidade e de preenchimento em armazéns ainda a serem construídos em cidades pequenas e arruinadas sem uma economia local consistente, como San Bernardino, na Califórnia — em troca de um cardápio de subsídios.

Esses são os mesmos empregos que, supostamente, fazem com que os funcionários passem dez horas em uma gaiola de metal, com medo de tirar pausas para ir ao banheiro, um modelo que é sustentado por um grande número ainda mais precário de empregados de plantão temporários, sazonais, que estão à disposição, mas não têm benefícios ou horas garantidas. Então, o número desses empregos e sua remuneração esperada são reduzidos até que a cidade enganada seja deixada para pagar a fatura.

É um negócio vil, mas que está crescendo. Bezos, em sua carta para acionistas nesta quarta-feira (18), estava feliz de anunciar que o Amazon Prime agora tinha 100 milhões de assinantes.

[The Intercept]

Imagem do topo: Getty