A ESA (Agência Espacial Europeia) divulgou uma nova imagem de uma galáxia distante, que quebra todos os nossos recordes de distância cósmica.

Usando uma nova técnica de análise de cor, pesquisadores conseguiram apontar a galáxia GN-Z11 como a mais remota que eles já viram: ela surgiu 400 milhões de anos após o Big Bang. Isso quebra o recorde anterior da galáxia mais distante, que surgiu 550 milhões de anos após o Big Bang.



Para dar uma ideia melhor do que essa distância significa, este vídeo começa com o Grande Carro (Big Dipper em inglês) — conjunto das sete estrelas mais brilhantes da constelação Ursa Maior — e, então, continua dando zoom até chegar à GN-Z11:

Este é mais um trabalho do Hubble, que já capturou imagens impressionantes do espaço profundo antes usando não apenas o seu poder telescópico, como também um fenômeno astronômico chamado “lente gravitacional”.

Quando a luz atravessa o campo gravitacional de algo bem grande, como um aglomerado de galáxias, ela se curva como se tivesse passado por uma lente de vidro. Muitas fotos que dependem da lente gravitacional nos mostraram aglomerados de galáxias mais longe do que imaginaríamos algum dia ver.

A galáxia GN-Z11 está tão longe que o Hubble, ou quaisquer outros telescópios, não são capazes de vê-la com detalhes. Apenas o futuro telescópio James Webb, que ainda está em construção, talvez consiga atingir essa distância. A previsão é que ele seja lançado ao espaço em 2018.

[ESA]