Recentemente, o e-commerce tem passado por maus tempos no Brasil: o atraso na entrega e envio de produtos errados chegou a tal ponto que Procon e Ministério Público se movimentam para tirar lojas do ar como punição. O que pode resolver isso? Um pouco mais de concorrência no mercado deve ajudar – por exemplo, a japonesa Rakuten, que abriu sua loja online esta semana no Brasil.

A Rakuten diz ser “uma das três maiores empresas de e-commerce do mundo”, e seu site é um dos mais visitados no Japão. Nos últimos anos, a Rakuten vem se expandindo para fora do Japão, e em junho eles compraram a brasileira Ikeda para iniciarem os negócios no Brasil. Esta semana, a loja abriu em pré-estreia apenas para quem está cadastrado.

A Rakuten não é exatamente uma loja, é um “shopping virtual”: reúne várias lojas online – eles prometem mais de 150 no Brasil – em vez de vender os próprios produtos. No Japão, o modelo deu certo: são 73 milhões de usuários e 37.000 lojas. Aqui, eles poderiam ser uma alternativa ao Mercado Livre, reunindo lojas pequenas para vender produtos. Entre as lojas de eletrônicos confirmadas, estão Apetrexo, Eletrocell, Mega Mamute, Shopinfo e outras – e há lojas em todo segmento, como esporte e lazer, moda e acessórios, vinhos e bebidas etc.

Mas a Rakuten não tem um grande diferencial presente, por exemplo, na Amazon. Assim como a Rakuten, a Amazon também vende produtos de terceiros. Caso você tenha problema com um deles, a Amazon oferece a garantia A-to-z: se a loja demorar para enviar o produto, enviar com defeito ou não reembolsar o dinheiro em caso de devolução, a Amazon resolve o problema direto com a loja e lhe garante o reembolso. (A garantia A-to-z vale inclusive para o Brasil!) Mas a Rakuten, tanto no Japão como aqui, diz que “cada loja do shopping possui sua própria política de troca e devolução”, e não oferece uma garantia – algo que iria lhe diferenciar do Mercado Livre, por exemplo.

Bem, espero que a Rakuten dê visibilidade a lojas menores, que ofereçam bom preço e bom atendimento. E, com rumores de que a Amazon virá ao Brasil, espero que a concorrência no e-commerce aumente no país. Estamos precisando. [Rakuten]